ESCRAVIDÃO, MOCAMBOS, FUGAS E A LEGISLAÇÃO ESCRAVISTA NO GRÃO-PARÁ DO SÉCULO XIX

UM ESTUDO DE SOCIOLOGIA HISTÓRICA

Resumo

O tema desta pesquisa é o significado da legislação na sociedade colonial e imperial escravista na Amazônia. O significado desta legislação será interpretado pela estruturação que ofereceu a figuração escravista, bem como resultado de tendências e tensões desta figuração. A metodologia empregada foi a análise documental, com leitura e interpretação das legislações concernentes à escravatura no Grão-Pará entre 1838 -1888. A sua interpretação indica que as sucessivas leis implementadas se caracterizavam pelo objetivo do Estado escravocrata formular estratégias renovadas de pressão social, pela captura de escravizados que logravam escapar e pela preservação da configuração escravista – em contra as fortes tensões, advindas da ação dos escravizados, que reivindicavam sua abolição.

Biografia do Autor

David Junior de Souza SILVA, Universidade Federal do Amapá - Unifap

Professor da Universidade Federal do Amapá - UNIFAP. Doutorando em Geografia pelo Instituto de Estudos Socioambientais, da Universidade Federal de Goiás - IESA/UFG.

Samia Kamyla Freitas SILVA, Universidade Federal do Amapá - Unifap

Graduanda em Licenciatura em Sociologia pela Universidade Federal do Amapá - UNIFAP. Integrante do Núcleo de Estudos sobre Etnopolítica e Territorialidades na Amazônia - NETTA/UNIFAP

Publicado
2021-06-10
Como Citar
SILVA, D.; SILVA, S. ESCRAVIDÃO, MOCAMBOS, FUGAS E A LEGISLAÇÃO ESCRAVISTA NO GRÃO-PARÁ DO SÉCULO XIX. Revista Temporis[ação] (ISSN 2317-5516), v. 21, n. 01, p. 29, 10 jun. 2021.
Seção
ARTIGO ACADÊMICO