ENSINANDO A PARTIR DE JOGOS

O JOGO DO PALEOLÍTICO

Palavras-chave: Jogos educativos, jogo do paleolítico, temas do currículo

Resumo

Esse trabalho teve como objetivo descrever a proposta e aplicação do Jogo do Paleolítico para uma turma do quarto ano, uma do quinto ano e uma do sexto ano, todas do ensino fundamental. As aplicações foram feitas com uma sessão, que variou entre duas e três aulas de quarenta e cinco minutos para cada sala. A metodologia utilizada foi a pesquisa ação e a justificativa foi pautada pela Base Nacional Comum Curricular, quando previu o trabalho com temas como, por exemplo, nomadismo, sedentarismo e os deslocamentos dos seres humanos nesta época da história, para estes estudantes. Este artigo contou com a descrição dos principais elementos do jogo, além da descrição sobre sua aplicação, em uma escola pública da periferia da cidade de São Paulo. Como resultados, verificamos as dificuldades inerentes ao uso de jogos educativos com muitas de peças e regras. Existiam dezenas de peças, além de cartas, tabuleiro e dado de seis faces. Outros resultados apontaram para a importância do treinamento do trabalho em grupos, como parte da formação dos estudantes para a vida em sociedade, e sobre a importância de ir além de trabalhar comportamentos, traduzida na preocupação em tratar sobre temas do currículo do ensino fundamental, propiciando aos estudantes a discussão e formulação de hipóteses sobre o desenvolvimento da vida em sociedade.

Biografia do Autor

Rafael Rix GERÔNIMO, Prefeitura Municipal de São Paulo, PMSP, Brasil.

Possui graduação em Matemática pela Universidade Anhembi Morumbi (2004), Especialização em Educação Matemática pela PUC/SP (2008) e Mestrado em Ensino de Matemática pela PUC/SP (2011) Atualmente é professor da Prefeitura Municipal de São Paulo, atuando principalmente nos seguintes temas: Ensino Fundamental, Jogos Educativos e Gamificação.

Marcio de Pinho BOTELHO

Mestre em literatura pela Universidade de São Paulo e professor de História com dez anos de atuação, possui ampla experiência em ensino fundamental e médio. Atualmente se dedica a área de jogos digitais, roteirização e desenvolvimento de narrativas em mídias digitais. Recentemente apresentador do podcast "Leitura do Intervalo", no qual realiza análises sobre livros de bolso e obras literárias diversas. Tem interesse em ensino, tecnologia, criação de conteúdo, gestão de pessoal e narrativas.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base nacional comum curricular. Brasília: MEC, 2017.
ELORZA, Natiele Silva Lamera. O uso de jogos no ensino e aprendizagem de matemática nos anos iniciais do ensino fundamental: levantamento de teses e dissertações. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, UNESP, Presidente Prudente, 2013.
GERONIMO, Rafael Rix. Elaboração e proposta de um RPG (Role Playing Game) a partir do papiro de Rhind. Dissertação (Mestrado em Ensino de Matemática) – Pontifícia Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.
GERONIMO, Rafael Rix; TEIXEIRA, Henry G. Criação e aplicação de um jogo educativo: o jogo do observatório. Revista ADVIR (ASDUERJ), v. 2, p. 55-62, 2017.
GERONIMO, Rafael Rix. Criação, aplicação e reflexão sobre um jogo educativo: um relato de prática. Revista Temporis[ação], v. 18, p. 224-236, 2018.
ROSA, Leandro Viana. Jogos lógicos no ensino fundamental. Dissertação (Mestrado em Ensino de Matemática) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.
SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. São Paulo: Editora Cortez, 2007.
SILVA, Janduir Egito da. Pistas orgânicas: uma atividade lúdica para o ensino das funções orgânicas. Dissertação (Mestrado em Química) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
ZAMBONI, Geovana. O ensino de propriedades periódicas através do lúdico. Dissertação (Mestrado em Ensino de Química) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2013.
Publicado
2021-11-25
Como Citar
GERÔNIMO, R.; BOTELHO, M. ENSINANDO A PARTIR DE JOGOS. Revista Temporis[ação] (ISSN 2317-5516), v. 21, n. 02, p. 16, 25 nov. 2021.
Seção
RELATO DE EXPERIÊNCIA