O BEM-VIVER SUPERA AS LIMITAÇÕES DO DESENVOLVIMENTO

Resumo

 bem-viver, a vida em equilíbrio com a natureza, é um conceito que estabeleceram originalmente as culturas indígenas em suas relações com a natureza e entre os seres humanos. Os organismos internacionais e os países industrializados defendem um conceito de desenvolvimento vinculado a um crescimento desigual e economicista do ser humano, algo que rompe com o equilíbrio entre pares e com a natureza. Recuperar agora o conceito de bem-viver implica uma ruptura com o sistema capitalista de acumulação infinita em um mundo finito. Não é possível um bem-viver em diálogo com um crescimento econômico predatório. Este artigo demonstra como os princípios do bem-viver superam as limitações do desenvolvimentismo, quais sejam: o limite de crescimento econômico, o limite energético, o limite alimentar, e o limite ambiental.

Biografia do Autor

José Efraín Astudillo BANEGAS, Universidad de Cuenca, Ecuador

Docente y Investigador en la Universidad de Cuenca, Ecuador. Miembro del grupo de Investigación Interuniversitario Tierra.

[tradutor] David Junior de Souza SILVA, Universidade Federal do Amapá - Unifap

Professor da Universidade Federal do Amapá - UNIFAP. Doutorando em Geografia pelo Instituto de Estudos Socioambientais, da Universidade Federal de Goiás - IESA/UFG.

Publicado
2020-12-19
Seção
DOSSIÊ CULTURA E TERRITÓRIO NA AMAZÔNIA