COLETA E CULTIVO DE PLANTAS MEDICINAIS:

A TERAPÊUTICA COMUM PARTILHADA NAS ÁREAS DE CERRADO E NOS QUINTAIS DO ASSENTAMENTO RURAL FORTALEZA

Resumo

O objetivo desse artigo é analisar as práticas e estratégias dos moradores do Assentamento Rural Fortaleza, localizado no munícipio de Nova Olinda (TO), região dos Vales dos Rios Araguaia e Tocantins, concernentemente à coleta e ao cultivo das espécies medicinais nos cerrados e nos quintais, respectivamente. Referenciando nossa discussão na Etnobotânica e nos estudos da cultura do Comum, produzimos o levantamento dos dados das principais espécies coletadas e cultivadas; o registro das formas de preparo e das enfermidades tratadas, buscando compreender como a relação homem/natureza dos moradores do referido assentamento constitui uma cultura de cura por meio do uso das plantas medicinais. As análises realizadas evidenciaram a existência de um consistente repertório terapêutico no Assentamento Fortaleza, repertório esse constituído por dois domínios intercambiáveis: o domínio da tradição intergeracional, que é responsável pela resistência e manutenção cultural dos saberes e fazeres acerca das plantas medicinais; e o domínio das soluções de saúde, que é composto por estratégias, mecanismos e ações que visam produzir resultados eficazes no tratamento de diversas doenças por meio da administração de remédios preparados com plantas medicinais.

Biografia do Autor

Olivia Macedo Miranda de MEDEIROS, Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Professora Adjunta dos Cursos de História na Universidade Federal do Tocantins (UFT), Campus de Araguaína. Doutora em História pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e Professora do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura e Território – PPGCULT-UFT. Editora da Revista Escritas do Curso de História da UFT/Araguaína. Membro do Coletivo de Mulheres Raimundas. Pesquisas na área de História e Cultura, com ênfase em territórios, plantas medicinais, trabalhadores rurais, Etnobôtanica e comunidades. 

Leila Sousa FRANÇA, Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Professora do Educação Básica. Menstranda no Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura e Território – PPGCULT-UFT.  Pesquisas na área de História e Trabalho, com ênfase em território, trabalhadores rurais e luta pela terra. 

Publicado
2021-03-07
Seção
DOSSIÊ CULTURA E TERRITÓRIO NA AMAZÔNIA