O CANTO DO MARABAIXO

ELEMENTO DE RESISTÊNCIA DE ORALIDADE AFRICANA E APROPRIAÇÃO IDENTITÁRIA CULTURAL NO AMAPÁ

Resumo

Este texto foi produzido com base em pesquisa sobre as narrativas presentes na composição poética dos ladrões de Marabaixo, sob a concepção dos marabaixeiros que produzem essas canções e aborda sobre as pretensões e as motivações desse gênero musical. O objetivo deste trabalho é identificar os elementos pertencentes à identidade cultural do Marabaixo, a partir das tradições orais que estão inseridas na manifestação por meio de ladrões – nome dado aos versos que compõem as cantigas desse ritmo musical. A importância desse enfoque é promover uma relação mais próxima com as premissas antropológicas das canções, permitindo que sejam descritos tanto para o conhecimento acadêmico, quanto para a valorização da manifestação do Marabaixo. A pesquisa foi fundamentada na teoria de Luiz Gonzaga Motta (2013), no contexto das análises das narrativas, a qual compreende que elas passam por um processo interpretativo por meio da construção de sentidos; como aporte histórico, Pereira (1989) e Canto (1998) puderam colaborar no intuito de compreender o Marabaixo através dos primeiros registros históricos; Hampâté Bâ (2010) e Ferreira Netto (2008) fundamentaram a questão da oralidade e da memória atreladas às narrativas orais. Neste texto, foram destacadas as comunidades mais remotas, representadas por alguns cantadores descendentes diretos dos primeiros compositores de Marabaixo. Tais cantadores, que também são compositores, subsidiaram este trabalho por meio de entrevistas que comprovam a relevância das composições e como as narrativas envoltas na manifestação são constituídas de tradição oral. A análise de tais narrativas considerou os contextos sociais, históricos e culturais, que revelou o processo de resistência imbuído simbolicamente nas comunidades.

Biografia do Autor

Rodrigo Reis LASTRA CID, UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ

Professor Adjunto de Filosofia na Universidade Federal do Amapá. Pesquisador na área da Metafísica. Editor Chefe do periódico Investigação Filosófica. Editor da Série Investigação Filosófica (NEPFIL/Editora UFPel). Líder do Grupo de Pesquisa Investigação Filosófica (DGP/CNPq), membro do GT de Metafísica Analítica da ANPOF, da Society for the Metaphysics of Science e do Laboratório de Estudos Aplicados em Infoprodutos (UFES/CNPq). Residência Pós-Doutoral em Filosofia realizada na Universidade Federal de Minas Gerais. Doutor e Mestre em Lógica e Metafísica (Filosofia) pelo Programa de Pós-Graduação em Lógica e Metafísica da Universidade Federal do Rio de Janeiro, com período sanduíche na Université Catholique de Louvain. Bacharel em Filosofia pela Universidade Federal em Ouro Preto. Ex-Professor de Filosofia na Universidade Federal do Rio de Janeiro, no Instituto Federal de Minas Gerais e na Faculdade Dom Luciano Mendes.

Regiane da Silva COUTINHO, UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ

Possui graduação em licenciatura plena em artes visuais pelo Fundação de Apoio à Pesquisa e à Cultura da Universidade Federal do Amapá(2008). Atualmente é professora da escola estadual irmã santina rioli, professora da escola municipal de ensino fundamental Roraima e do Fundação de Apoio à Pesquisa e à Cultura da Universidade Federal do Amapá. Tem experiência na área de Artes.

Publicado
2021-04-09
Seção
DOSSIÊ CULTURA E TERRITÓRIO NA AMAZÔNIA