UMA IMAGEM PRETÉRITA E UMA REALIDADE PRESENTE: CAMPO E CIDADE EM ANGÚSTIA, DE GRACILIANO RAMOS

  • Ewerton de Freitas Ignácio Unidade de Ciências Socioeconômicas e Humanas da Universidade Estadual de Goiás (UnUCSEH-UEG).
Palavras-chave: Graciliano Ramos. Romance brasileiro. Experiência urbana. Campo.

Resumo

Este trabalho tem por finalidade averiguar o modo como se processam as relações entre campo e cidade em Angústia (1936), de Graciliano Ramos. Pretende-se demonstrar que, mediadas pela memória do narrador-personagem, tais relações constituem uma progressão em cujo percurso o referido narrador se afasta cada vez mais de um ideal de felicidade para a conformação de um estado em que a sua vivência é cerceada pela configuração aterradora da cidade grande.

Biografia do Autor

Ewerton de Freitas Ignácio, Unidade de Ciências Socioeconômicas e Humanas da Universidade Estadual de Goiás (UnUCSEH-UEG).
Doutor em Letras pela Universidade Estadual Paulista (UNESP – São José do Rio Preto). Professor de Literatura Brasileira na Unidade de Ciências Socioeconômicas e Humanas da Universidade Estadual de Goiás (UnUCSEH-UEG).
Como Citar
Ignácio, E. (1). UMA IMAGEM PRETÉRITA E UMA REALIDADE PRESENTE: CAMPO E CIDADE EM ANGÚSTIA, DE GRACILIANO RAMOS. Via Litterae (ISSN 2176-6800): Revista De Linguística E Teoria Literária, 1(1), 197-205. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/vialitterae/article/view/4568
Seção
Teoria Literária