AS LUTAS DO MST E DOS CAMPONESES PELA POSSE DA TERRA NOS ASSENTAMENTOS PADRE JOSIMO I E II NO ESTADO DO TOCANTINS

  • Dalva Mesquita SOARES Doutora em Geografia da UFG - Universidade Federal de Goiás / IESA - Instituto de Estudos Socioambientais, Campus Samambaia, Goiânia (GO)
  • Celene Cunha Monteiro Antunes BARREIRA Doutora em Geografia e Docente da UFG - Universidade Federal de Goiás / IESA - Instituto de Estudos Socioambientais, Campus Samambaia, Goiânia (GO)
  • Vandervilson Alves CARNEIRO Doutor em Geografia e Docente da UEG - Universidade Estadual de Goiás, Campus Henrique Santillo, Anápolis (GO)

Resumo

O presente trabalho apresenta uma análise da estrutura fundiária no Brasil, tendo em vista que a propriedade da terra tornou-se uma luta constante dos campesinos, mediante as práticas utilizadas pelos latifundiários e pelos políticos para não se realizar a reforma agrária. Mediante esta análise, apresenta-se as lutas do MST e dos campesinos pela posse da terra no Estado do Tocantins, acampados durante vários anos reivindicando a posse da terra. Este estudo foi desenvolvido a partir de uma pesquisa de campo. Utilizaram-se como instrumentos de pesquisa entrevistas e pesquisas bibliográficas. Procurou-se responder à seguinte pergunta: quais são os principais problemas e lutas enfrentados pelos camponeses nos acampamentos para aquisição do título de posse da terra no Assentamento Padre Josimo I e II?

Publicado
2020-06-15
Seção
ARTIGO ACADÊMICO