ESTALEIRO ESCOLA DO MUSEU DA VILA

USO SOCIAL DE EDIFICAÇÕES PÚBLICAS

Resumo

A proposta de criação de um Estaleiro Escola do Museu da Vila integra o Projeto Matriz do Programa de Pós-graduação, Mestrado Profissional, em Artes, Patrimônio e Museologia (PPGAPM) da Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar). O referido projeto tem o objetivo de criação do Ecomuseu Delta do Parnaíba, já iniciado e com seu primeiro polo – o Museu da Vila. O território que abriga o projeto é a Área de Proteção Ambiental Delta do Parnaíba, da qual fazem parte dez municípios: Barroquinha e Chaval, no Estado do Ceará; Araioses, Água Doce, Tutóia e Paulino Neves, no Maranhão; Cajueiro da Praia, Luís Correia, Parnaíba e Ilha Grande, no Estado do Piauí. A opção do Programa por esta natureza de museu e pelo conceito de rede, polinuclear, tem uma íntima relação com a natureza do território, uma Unidade de Conservação, que abriga comunidades ribeirinhas, praieiras e deltaicas, detentoras de um rico patrimônio natural e cultural em estado de vulnerabilidade socioambiental, a considerar os avanços da globalização, que provocam mudanças climáticas sem precedentes, alterando formas de ser, viver e colocando em risco a existência das espécies. A equipe do Programa de Pós-graduação acredita que esta tipologia de museu, ecomuseu, serve como base de integração entre setores e agentes públicos, privados e sociais a serviço da construção de territórios sustentáveis, de uma educação ao longo da vida e promotora de diálogos intergeracionais, interculturais. Uma tipologia de museu que integra as pessoas nas discussões e decisões sobre educação, patrimônio, cultura, meio ambiental, sustentabilidade no território que habitam, uma região que se fragiliza cotidianamente com a fragilidade ou mesmo inexistência de políticas públicas para os patrimônios, educação, cultura e meio ambiente.

Biografia do Autor

Rita de Cássia Moura CARVALHO, Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar)

Cássia Moura é fotógrafa e documentarista. Assina como produtora e fotógrafa still o documentário etnográfico Passos de Oeiras (2009) e como diretora o documentário etnográfico As Escravas da Mãe de Deus (2010) e Piauí: história, memória e patrimônio cultural [2008], realizado em caráter institucional para Superintendência Estadual do IPHAN no Piauí. Na Série Literatura Brasil, que inclui os documentários: H.Dobal um homem particular [2002], O Sertão mundo de Suassuna [2003] e Marcos Vinícios Vilaça o artesão da palavra [2005] assina como produtora e fotógrafa still. Assina como produtora executiva o filme Cipriano [longa metragem, 2001]. No documentário Um corpo subterrâneo [DOCTV, 2007] assina como assistente de direção e fotógrafo still. É autora do livro Celebrações, que, em 2009, recebeu o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade. Participou da Coordenação do INRC - Inventário Nacional de Referências Culturais da Arte Santeira do Piauí; produziu os registros audiovisuais do Inventário e do INRC - Celebrações no Piauí, Oeiras [2009]. É autora do livro Senhores de seu ofício: a arte santeira do Piauí [2010]; produziu as edições 2008, 2010 e 2012 do Congresso Internacional de História e Patrimônio Cultural. É autora da exposição fotográfica "Senhores de seu ofício: a arte santeira do Piauí. Desenvolve pesquisas e estudos em Museologia, Educação, Patrimônio, Cinema Documentário, Cultura, Religião e Religiosidades.

Publicado
2021-06-30
Como Citar
CARVALHO, R. DE C.; PINHEIRO, ÁUREA; SAMPAIO, M. L. ESTALEIRO ESCOLA DO MUSEU DA VILA. Revista Temporis[ação] (ISSN 2317-5516), v. 21, n. 01, p. 29, 30 jun. 2021.
Seção
DOSSIÊ EDUCAÇÃO PATRIMONIAL: HISTÓRICO, CONCEITOS E PROCESSOS