MERCANTILIZAÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU?

análise do PNE e seus efeitos no aumento de mestres e doutores no nordeste

Resumo

Este artigo analisa os efeitos das metas 13 e 14 do PNE sobre a expansão das pós-graduações stricto sensu, a partir dos dados publicados nos relatórios dos últimos três ciclos avaliativos, publicados pelo INEP/MEC (2016; 2018; 2020). O objetivo deste artigo é discutir se o aumento da quantidade de mestres e doutores tem alguma interferência real na melhoria da qualidade do ensino superior. Para isto, partiu-se de uma metodologia quanti-qualitativa, em que, de um lado, foram confrontados dados oficiais sobre o aumento da titulação e do número de programas na região Nordeste e, de outro, foram analisados dados sobre investimentos no setor e participação de IES públicas e privadas no ensino superior. Como resultado, percebeu-se que, a priori, não há correlação entre qualidade do ensino superior e aumento dos mestres e doutores, uma vez que a redução de investimentos públicos em pesquisa, ciência e tecnologia aumenta a precarização já sofrida pelo ensino superior como um todo.

 Palavras-chave: PNE;Meta 13; Meta 14; estudos de Pós-Graduação Stricto Sensu; Nordeste.

Biografia do Autor

Carla Priscilla Barbosa Santos Cordeiro, CESMAC-AL

Doutora em Educação, Mestra em Direito. Graduada em Direito, Licenciada em Pedagogia. Professora do CESMAC-AL.

Edna Cristina do Prado, Universidade Federal de Alagoas

Pós Doutora,  Doutora e Mestra em Educação. Licenciada em Pedagogia, Educação Física e Letras. Graduada em Direito, Linguística, e Teologia. Professora Associada da Universidade Federal de Alagoas

Lana Lisiêr de Lima Palmeira, Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Doutora e Mestra em Educação. Graduada em Direito, Licenciada em Pedagogia e Filosofia. Professora Adjunta da Universidade Federal de Alagoas.

Publicado
2021-05-07
Seção
Artigos