A REFORMA DO ENSINO MÉDIO:

perspectivas juvenis sobre as práticas docentes e o uso das tecnologias digitais

Resumo

O presente artigo discute as perspectivas juvenis sobre as práticas docentes e uso das tecnologias digitais no percurso da implementação da nova organização curricular desencadeada pela reforma do Ensino Médio (Lei nº 13.415/2017). Para tanto, dialoga com os dados coletados, na perspectiva discente, sobre o uso de tecnologias como recurso didático-pedagógico em aulas do Ensino Médio disponibilizado pelo relatório da pesquisa “Vamos falar sobre Ensino Médio? Os/as jovens estudantes e suas percepções de currículo no Brasil Marista”, lançado em 2020.  O estudo abrangeu jovens de escolas presentes em 18 estados brasileiros, desenvolvendo-se em duas etapas: 1ª) Fase exploratória quantitativa, com participação de 3089 jovens respondentes de questionário online autoaplicável; 2ª) Fase qualitativa, com participação de 80 jovens, sistematizados em 10 grupos focais, em diferentes regiões do país. É possível afirmar que considerar as percepções e as concepções dos jovens estudantes do Ensino Médio, no desenvolvimento da reforma curricular do referido segmento, contribuirá com práticas pedagógicas, que incluam as tecnologias, como possibilidade de promoção de espaços e tempos educativos que visem (re)construções, (re)elaborações, (re)significações para fins de autonomia do aprender e do ser e estar no mundo.

 Palavras-chave: Reforma do Ensino Médio; jovens; práticas docentes; Tecnologias digitais.

Biografia do Autor

Michelle Jordão Machado, União Marista do Brasil; IESB

 Doutora (2014) e Mestra (2000) em Educação pela Universidade Católica de Brasília, pós-graduada em Psicopedagogia e Educação a Distância, licenciada em Pedagogia e Letras. Atua como assessora de educação básica e superior na União Marista do Brasil, bem como na coordenação de cursos de pós-graduação em educação no IESB.

Adriana Justin Cerveira Kampff, Programa de Pós-Graduação em Educação; Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática da PUCRS

Doutora em Informática na Educação e Mestre em Ciências da Computação pela UFRGS. Especialista em Gestão Curricular e Bacharel em Informática pela PUCRS. Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação e Professora Colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática da PUCRS

Patrícia Espíndola de Lima Teixeira, PUCRS/Rede Marista

Doutoranda e Mestre em Teologia Sistemática com ênfase em Antropologia (PUCRS, 2017). Pós-graduada em Filosofia e Autoconhecimento (PUCRS, 2020). Especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional (FAPA, 2007) e licenciada em Pedagogia (PUCRS, 2000). Atua como coordenadora do Observatório Juventudes PUCRS/Rede Marista

Publicado
2021-05-07
Seção
Artigos