A trajetória do mais-que-perfeito e as múltiplas opções de sua substituição na língua falada no português popular de Vitória da Conquista (BA)

  • Sivonei Ribeiro Rocha (UESB) Mestre em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Jorge Augusto Alves da Silva (UESB) Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Valéria Viana Sousa (UESB) Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Resumo

Este artigo trata da função de anterioridade a um ponto de referência passado. A este respeito, acreditamos que tal função está codificada no português por meio de outras categorias verbais, além do mais-que-perfeito composto, tais como o pretérito perfeito, evidenciando que a forma simples do mais-que-perfeito parece estar em extinção. Para tanto, esta pesquisa se insere dentro do quadro teórico do Funcionalismo Linguístico. E para comprovar empiricamente isso, verificamos os dados do corpus do Grupo de Pesquisa em Linguística Histórica e em Sociofuncionalismo/CNPQ da região urbana de Vitória da Conquista, na Bahia. Ao discutirmos as noções de tempo, aspecto e ponto de referência, procuramos demonstrar que tal função, até certo ponto, não está vinculada apenas à forma verbal, mas perpassa por toda sentença, sendo inclusive reforçados por advérbios de tempo. A junção deste conjunto de formas contribui para que a função de anterioridade não seja exercida apenas pelo mais-que-perfeito, outros verbos exercem tal função de igual modo, o que, todavia, não é citado pelas gramáticas de cunho normativo. 

Biografia do Autor

Sivonei Ribeiro Rocha (UESB), Mestre em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Mestre em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Jorge Augusto Alves da Silva (UESB), Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Professor Titular de Língua e Literatura Latinas. Mestre e Doutor em Letras (Lingüística Histórica) pela Universidade Federal da Bahia. Atualmente é professor titular (nível A) da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.
Valéria Viana Sousa (UESB), Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Especialista em Língua Portuguesa pelo PREPES/PUC - MG (2001) e doutorado em Letras, área de concentração em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Federal da Paraíba. É professora titular da Universidade do Estado da Bahia.
Publicado
2017-03-02
Como Citar
Rocha (UESB), S., Silva (UESB), J. A., & Sousa (UESB), V. (2017). A trajetória do mais-que-perfeito e as múltiplas opções de sua substituição na língua falada no português popular de Vitória da Conquista (BA). Via Litterae (ISSN 2176-6800): Revista De Linguística E Teoria Literária, 8(1), 117-142. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/vialitterae/article/view/5829
Seção
Linguística