A MATERIALIZAÇÃO DO ESPAÇO EM “O QUARTO DE JACK”

  • Mariana Sousa Bernardes Universidade Estadual de Goiás – UEG/UnU de Iporá
  • Fernanda Surubi Fernandes Universidade Estadual e Goiás – UEG/UnU de Iporá
  • Samuel Carlos Melo Universidade Estadual e Goiás – UEG/UnU de Iporá

Resumo

A violência contra a mulher é algo constituído historicamente e produz efeitos nas relações sociais contemporâneas. Por isso, o presente trabalho tem como objetivo compreender como a relação sujeitos e quarto/cativeiro ocorre pela materialização do espaço, que se constitui pelo foco da câmera em O quarto de Jack. Os principais autores para a fundamentação teórica dessa pesquisa foram Jullier e Marie (2006), que esclarece a importância/significado que a câmera e suas posições exercem na relevância de um filme; Orlandi (2015, 1995) escreve sobre a análise do discurso e aborda os conceitos do discurso, como também a noção de espaço em Bachelard (1978). Em suma, nota-se que o modo de olhar sobre a violência, faz refletir sobre a violência sem mostrá-la de forma explícita, mas mostrar a violência de modo que a faça reverberar nos sujeitos pela constituição do espaço.

Palavras-chaves: Violência; Mulheres; Análise do discurso

Biografia do Autor

Mariana Sousa Bernardes, Universidade Estadual de Goiás – UEG/UnU de Iporá

Graduada em Letras pela Universidade Estadual de Goiás – Unidade Universitária de Iporá. Tem interesse na área da Linguística Aplicada, Análise do discurso, Literatura, Mulheres, Corpo, Violência e Língua Inglesa. Na graduação cursou Iniciação Científica PIVIC/UEG na área da Linguística aplicada enfatizando o ensino online com ferramentas digitais para o ensino de Língua Inglesa.

Fernanda Surubi Fernandes, Universidade Estadual e Goiás – UEG/UnU de Iporá

Professora efetiva na área de Língua Portuguesa e Linguística na Universidade Estadual de Goiás - UEG/Unidade Universitária Iporá. Doutora em Linguística pela Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT. É formada em Licenciatura plena em Letras e possui Mestrado em Linguística pela UNEMAT. Atualmente é coordenadora setorial do Curso de Letras UEG/Unidade Universitária Iporá.

Samuel Carlos Melo, Universidade Estadual e Goiás – UEG/UnU de Iporá

Possui graduação em Letras - Hab. Português/ Literatura pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - Três lagoas (2009), mestrado em Letras pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - Três lagoas (2012) e doutorado em Literatura Brasileira pela Universidade de São Paulo (2019). Atualmente é professor titular da Universidade Estadual de Goiás. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Brasileira, atuando principalmente nos seguintes temas: poema narrativo, poesia brasileira, história da literatura e ensino de literatura.

Publicado
2021-07-07
Seção
Número Especial Linguagens e Educação