Rui Torres e Clarice Lispector: poéticas intermédia

  • Débora Cristina Santos e Silva Pós-doutora em Literatura e Hipermédia (UFP-Porto-Pt). Doutora em Teoria Literária (Unesp). Pesquisadora do projeto “PO-EX ́70-80 - Arquivo Digital da Literatura Experimental Portuguesa”, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia com fundos do MCTES e da União Europeia (Refª: PTDC/CLE-LLI/098270/2008), do Centro de Estudos Culturais, da Linguagem e do Comportamento da Universidade Fernando Pessoa. Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES. Docente da Universidade Estadual de Goiás (UEG) e do Centro Universitário de Anápolis-Go-Brasil.
  • Carlos Augusto Moraes Silva
Palavras-chave: Tecnologia. Intertextualidade. Leitura. Leitor. Ciberliteratura.

Resumo

Este ensaio apresenta os pontos de convergência entre a ficcionista brasileira Clarice Lispector e o poeta português Rui Torres, tendo, enquanto corpus de análise, o poema hipermídia “Amor de Clarice” (2005), este último, construído a partir do conto “Amor”, da autora de Laços de Família (1960).  Numa abordagem comparativista, tendo como enfoque o impacto da tecnologia sobre o cenário sociocultural da atualidade, busca-se, igualmente, analisar a relação autor-obra-leitor, com o advento das novas tecnologias da informação e do uso do computador enquanto máquina semiótica.  As discussões apontam que, diante do texto clariceano, o escritor português promove uma releitura que dialoga criativamente com o original, expandindo sua carga semântica por meio de recursos sonoros, visuais e de animação. Sob a influência da rica tradição literária da Poesia Experimental Portuguesa, “Amor de Clarice” aposta no entrecruzamento da linguagem literária com os suportes midiáticos para romper com valores estéticos tradicionais, apontando novos paradigmas para a literatura luso-brasileira contemporânea.

Biografia do Autor

Débora Cristina Santos e Silva, Pós-doutora em Literatura e Hipermédia (UFP-Porto-Pt). Doutora em Teoria Literária (Unesp). Pesquisadora do projeto “PO-EX ́70-80 - Arquivo Digital da Literatura Experimental Portuguesa”, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia com fundos do MCTES e da União Europeia (Refª: PTDC/CLE-LLI/098270/2008), do Centro de Estudos Culturais, da Linguagem e do Comportamento da Universidade Fernando Pessoa. Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES. Docente da Universidade Estadual de Goiás (UEG) e do Centro Universitário de Anápolis-Go-Brasil.
Pós-doutora em Literatura e Hipermédia (UFP-Porto-Pt). Doutora em Teoria Literária (Unesp). Pesquisadora do projeto “PO-EX ́70-80 - Arquivo Digital da Literatura Experimental Portuguesa”, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia com fundos do MCTES e da União Europeia (Refª: PTDC/CLE-LLI/098270/2008), do Centro de Estudos Culturais, da Linguagem e do Comportamento da Universidade Fernando Pessoa. Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES. Docente da Universidade Estadual de Goiás (UEG) e do Centro Universitário de Anápolis-Go-Brasil.
Carlos Augusto Moraes Silva
Graduado em Letras-Português pela Universidade Federal de Goiás – UFG,  Especialista em Docência de Língua Portuguesa e Literatura – UEG. Bolsista FUNAPE e pesquisador do projeto “Palavra e Imagem na Poesia Luso-Brasileira Contemporânea” (2009/2010), coordenado pela Profa. Dra. Débora Cristina Santos e Silva.
Publicado
2012-01-05
Seção
Artigos