A LICENCIATURA NOTURNA COMO TRAMPOLIM PARA A ENTRADA NA UNIVERSIDADE

  • Júlia da Silva Rigo Doutoranda em Educação pela Universidade Federal de São Carlos
  • Heloisa Herneck Universidade Federal de Vicosa
  • Frederico Cardoso Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo

Este artigo é a comunicação do resultado de uma pesquisa que investigou os percursos acadêmicas de quatro estudantes que ingressaram na licenciatura noturna em Química, em 2012, criada a partir do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (REUNI), da Universidade Federal de XXXXXX (UFXXX)[1]. O estudo buscou analisar o caminho percorrido por esses acadêmicos, bem como compreender o motivo da evasão do curso de licenciatura e as estratégias ao longo da graduação. As questões e os problemas da investigação foram analisados a partir de uma abordagem que envolveu as contribuições de autores como Bourdieu e Passeron (2014) e Coulon (2008). A pesquisa fez uso de procedimentos metodológicos qualitativos, como a produção de entrevistas, consulta a um banco de dados da própria Universidade, além de fontes documentais. O argumento central do trabalho evidencia a necessidade de se conhecer e de se problematizar, as estratégias de permanência utilizadas pelos estudantes no ensino superior.

 

[1]Optamos, até o parecer da submissão, não indicar o nome da instituição como forma de garantir a avaliação cega. Além disso, algumas referências em notas e referências foram igualmente suprimidas, mas com o parecer da revista podemos indicar a instituição.

Biografia do Autor

Júlia da Silva Rigo, Doutoranda em Educação pela Universidade Federal de São Carlos
Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Viçosa (2014) e Mestrado em Educação pela mesma Instituição (2016). Atualmente, é Doutoranda em Educação no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de São Carlos (PPGE-UFSCar) e membro do grupo de pesquisa Sociologia, Trabalho e Educação (UFSCar).
Publicado
2020-11-18
Seção
Tema livre