CRENÇAS DE PROFESSORES EM RELAÇÃO À INCLUSÃO DO ALUNO SURDO NA UNIVERSIDADE

  • Renata Cristina Vilaça-Cruz Universidade Federal de Goiás
  • Maria Clara Lôbo Sahium COSTA Universidade Estadual de Goiás (UEG)
  • Juliana Guimarães FARIA Universidade Federal de Goiás (UFG)

Resumo

Esta pesquisa tem como tema as possíveis crenças (PAJARES, 1992; BARCELOS, 2001, 2004) que envolvem o processo de ingresso educacional do primeiro aluno surdo no curso de Engenharia Civil da Universidade Estadual de Goiás (UEG), campus Anápolis-GO. A justificativa se baseia na necessidade de se discutir a formação de um engenheiro surdo, tendo em vista que é um fato inédito na instituição e acredita-se que as crenças do corpo docente podem influenciar neste processo. Destaca-se a relevância do tema devido à escassez de pesquisas na área de Linguística Aplicada que analisem crenças de professores de surdos. O objetivo geral é identificar e analisar possíveis crenças dos docentes, classificando-as em nucleares e/ou periféricas. Utilizou-se como metodologia uma abordagem qualitativa realizada a partir de pesquisas bibliográficas, elaboração, aplicação e análise de questionário. Dentre os 33 professores contatados, 13 se dispuseram a responder o questionário, que foi enviado via correio eletrônico. As referências utilizadas foram Pajares (1992), Barcelos (2004, 2006), Silva (2007), dentre outros autores que discutem a temática. Os resultados apontaram três possíveis crenças periféricas e três nucleares deste grupo de docentes, e, ainda, compreende-se que estas podem influenciar diretamente no processo de ensino e aprendizagem do aluno surdo. Ressalta-se, também, a necessidade de desenvolvimento de pesquisas nessa área a fim de possibilitar novas discussões que proporcionem aprendizagem e possíveis mudanças de crenças.

Biografia do Autor

Renata Cristina Vilaça-Cruz, Universidade Federal de Goiás
Professora do Departamento de Libras e Tradução da Universidade Federal de Goiás (UFG)
Maria Clara Lôbo Sahium COSTA, Universidade Estadual de Goiás (UEG)

Formada em Pedagogia com especialização em Linguística das Línguas de Sinais (UFG). Professora Intérprete de Libras na Universidade Estadual de Goiás (UEG)

Juliana Guimarães FARIA, Universidade Federal de Goiás (UFG)

Docente do Departamento de Libras e Tradução da Universidade Federal de Goiás (UFG). 

Publicado
2021-12-23
Seção
Tema livre