REFLEXÕES INICIAIS ACERCA DE UMA EXPERIÊNCIA AVALIATIVA NO ENSINO DE LÍNGUA INGLESA NO ENSINO FUNDAMENTAL I

  • Giuliana Castro Brossi Universidade Estadual de Goiás https://orcid.org/0000-0003-0130-843X
  • Beatriz Borges de Sousa Universidade Estadual de Goiás
  • Valdilene Elisa da Silva Universidade Estadual de Goiás

Resumo

O presente estudo analisa trechos de uma atividade avaliativa de língua inglesa, com crianças entre sete e oito anos, do 3ª ano do Ensino Fundamental I. A partir das respostas das crianças, no contexto citado, foi possível tecer algumas considerações a respeito da dificuldade de interpretação das crianças, da problemática em associar a compreensão do enunciado ao contexto da personagem, e da presença de questões éticas e morais pouco discutidas na escola, e evidentes nas percepções das crianças. Ao analisar a complexidade das respostas das crianças à questão interpretativa da atividade avaliativa, outros questionamentos se fizeram presentes no que diz respeito à própria concepção de avaliação, e o papel da mesma no ensino de língua inglesa no Ensino Fundamental I. Por meio da análise da atividade avaliativa e das respostas das crianças à luz dos princípios da formação crítica de professores de língua inglesa para crianças, Letramentos críticos e avaliação, é possível concluir que é necessário que o professor de Língua Inglesa para crianças considere a formação integral da criança, que esteja apto a acompanhar o progresso tecnológico do universo onde essas crianças se inserem, estimulando e compreendendo as diversas possibilidades de interação entre a língua estrangeira e as demais disciplinas.  

Biografia do Autor

Giuliana Castro Brossi, Universidade Estadual de Goiás

Mestre em Linguística Aplicada pela Universidade de Brasília (UnB) e doutoranda em Estudos da Linguagem pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Atualmente, é docente efetiva no Departamento de Letras da UEG Câmpus Inhumas. Seus interesses de pesquisa centram-se na formação de professores de língua inglesa segundo a perspectiva crítica, implementação de ensino de inglês para crianças na escola pública, comunidades de prática de professores de inglês para crianças e ações extensionistas e a transformação social. É membro do Grupo de Pesquisa do CNPq “Felice”, coordenado pela Profa. Dra. Juliana Reichert Assunção Tonelli, e do Grupo de Estudos “Transição”, coordenado pela Profa. Dra. Rosane Rocha Pessoa (UFG) e pela Profa. Dra. Viviane Pires Viana Silvestre (UEG). Participa, também, do Grupo de Pesquisa “Rede Cerrado de Formação Crítica de Professoras/es de Línguas”, coordenado pela Profa. Dra. Rosane Rocha Pessoa e pelo Prof. Dr. Kleber Aparecido da Silva (UnB). Integra, desde 2018, o Projeto Nacional de Letramentos: Linguagem, Cultura, Educação e Tecnologia, coordenado por Walkyria Monte Mor e Lynn Mario Menezes de Souza, da Universidade de São Paulo (USP).

Beatriz Borges de Sousa, Universidade Estadual de Goiás

Graduada em Letras, Especialista em Lígua (gem), Cultura e Ensino, é professora de Língua Inglesa para crianças na rede privada.

Valdilene Elisa da Silva, Universidade Estadual de Goiás

Professora efetiva do curso de Letras com a disciplina de Língua Inglesa,Orientação para o Estágio de inglês e Estágio Supervisionado pela Universidade Estadual de Goiás, Campus de Inhumas. Há cinco anos em regime de dedicação exclusiva, mestre em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Goiás. Graduada em Letras pela extinta FECELP- Faculdade de Ciências e Letras de Porangatu, hoje UEG, em Licenciatura Plena em Língua Portuguesa, Língua Inglesa e respectivas Literaturas. Cursou Inglês pela escola FISK nos níveis elementar, pré-intermediário e intermediário. Desenvolveu alguns projetos de extensão e pesquisa na área de Inglês e teatro. Ministrou cursos de formação complementar da UEG, Unidade de Porangatu. Participa do projeto de revitalização da cultura e da Língua Indígena _ MAUHERI, coordenado pela professora Maria do Socorro Pimentel da Silva, UFG. Faz parte, ainda, do projeto de pesquisa "Documentação da cultura e da Língua Karajá, coordenado pela professora citada anteriormente.

Publicado
2020-12-31
Seção
Dossiê: Práticas no ensino, na aprendizagem e na avaliação de LE nos anos inicia