LÍNGUA E LINGUAGEM NA EDUCAÇÃO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA PARA CRIANÇAS: REFLEXÕES SOBRE FILOSOFIAS DA LINGUAGEM ESTRUTURALISTA E PÓS-ESTRUTURALISTA

  • Marianna Cardoso Merlo Universidade Federal do Espírito Santo
  • Claudia Jotto Kawachi Furlan Universidade Federal do Espírito Santo

Resumo

Ao defendermos o ensino-aprendizagem de línguas estrangeiras (LE) para crianças como parte do processo educacional, é fundamental discutirmos as diferentes formas de compreender língua e linguagem e as implicações dessas concepções para a ação docente. Assim, neste artigo, discutimos diferentes conceitos de língua e linguagem elaborados por duas teorias linguísticas: o estruturalismo e o pós-estruturalismo. Esta análise objetivou promover uma reflexão sobre possibilidades de embasamento de práticas direcionadas à educação de língua estrangeira para crianças, partindo do princípio de que, ainda que de maneira indireta, todo fazer docente é influenciado por determinada filosofia. Neste trabalho, discutimos propostas locais que enfatizam visões pós-estruturalistas. Sabendo que a linguagem é permeada por relações de poder e que língua e cultura são indissociáveis, julgamos que o professor de LE para crianças, ao refletir sobre as perspectivas apresentadas neste texto, terá melhores condições de assumir seu papel de educador, que busca não somente ensinar repertórios linguísticos, mas também contribuir para a formação de cidadãos conscientes de seu papel na sociedade.

 

Publicado
2020-12-31
Seção
Dossiê: Práticas no ensino, na aprendizagem e na avaliação de LE nos anos inicia