Trajetória da Educação Especial no Brasil: Marcos Históricos e Políticos Relevantes

  • Beatriz Ribeiro Aleluia Picolini Universidade Federal de Goiás/ Regional Catalão
  • Maria Marta Lopes Flores

Resumo

A pesquisa acerca da trajetória da Educação Especial viabiliza o entendimento da constituição desse campo de estudo. O objetivo, então, do presente artigo, foi descrever a constituição da trajetória da Educação Especial no Brasil, considerando o marcos históricos e políticos. Para tanto realizou-se um estudo teórico embasado em autores que pesquisam a temática, quais sejam: Corde ( 1997); Jannuzzi (2006); Mazzotta ( 2011); Mendes (2010); Miranda (2008) e Sassaki (1997). Constatou-se, então, que o percurso da Educação Especial no Brasil é marcado tanto pela concepção de deficiência predominante na época, como por interesses políticos que a consideram relevante ou não, assim determinando os serviços, os investimentos e a direção dada a essa área. Desse modo, ocorreram períodos em que a pessoa com deficiência era segregada, assim não era uma preocupação e não havia serviços direcionados a ela; em seguida, vê-se a criação de instituições privadas e filantrópicas que seguiam uma linha de atendimento clínico/terapêutico, simultaneamente, surgem classes especiais dentro da rede regular de ensino pública; emerge, também, o modelo de integração/normalização e, por fim, verifica-se o paradigma da Educação Inclusiva que garante o acesso e a permanência na rede regular. Entretanto, a escola de qualidade para todos ainda necessita ser construída.

Biografia do Autor

Beatriz Ribeiro Aleluia Picolini, Universidade Federal de Goiás/ Regional Catalão
Pedagoga-UFG/ Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação- UFG/RC
Publicado
2020-07-17