Alimento e morte no banquete lezâmico de Paradiso.

  • Maria Fernanda Isidoro Chaves UFRJ

Resumo

As ocorrências de referências literárias que versam sobre a temática da comida são bastante significativas, seja na Europa seja na América. Embora bastante numerosas, escasso é o interesse da crítica literária sobre o tema, provavelmente por esse se tratar de uma necessidade biológica, cotidiana, banal, que não envolve a reflexão e a crítica, temas tão caros às obras literárias. Paradiso, romance cubano publicado em 1966 por José Lezama Lima, apresenta, em vários capítulos, seus personagens à mesa, envoltos no preparo e na ingestão de alimentos principalmente à base de açúcar, o mais importante ingrediente da história cubana, de acordo com Fernando Ortiz (1983). Baseados na leitura do mestre insular que afirma que o açúcar foi o responsável pela criação de um imaginário simbólico associado à herança das plantations, ao patriarcado, à morte e à escravidão, proporemos uma análise de como são construídas no romance lezâmico as relações entre alimento e morte.

Publicado
2020-07-17