Uso e cobertura do solo no Cerrado: panorama do período de 1985 a 2018

Soil use and coverage in Cerrado: period overview from 1985 to 2018

  • José Carlos de Souza Universidade Estadual de Goiás - Unidade de Minaçu
  • Patrick Thomaz de Aquino Martins Universidade Estadual de Goiás - Campus Formosa
  • Vinícius Polzin Druciaki Universidade Estadual de Goiás - Campus Cora Coralina
Palavras-chave: Agropecuária. Vegetação de Cerrado. Fitofisionomias. Mapbiomas. Desmatamento.

Resumo

O advento das geotecnologias, principalmente o uso de imagens orbitais, tem auxiliado no monitoramento do Cerrado, possibilitando o mapeamento e a quantificação das perdas de cobertura vegetal natural. Inúmeros projetos têm sido desenvolvidos com vistas ao levantamento de dados espaciais sobre o Cerrado, dentre estes está o Mapeamento Anual de Uso e Cobertura do Solo do Brasil (MapBiomas), que vem produzindo uma série histórica de dados e contribuído com os estudos geoambientais sobre os domínios vegetacionais brasileiros. O objetivo deste estudo foi avaliar a dinâmica de avanço das atividades ligadas à agropecuária no Cerrado e as perdas de cobertura vegetal, utilizando os dados do MapBiomas, no período de 1985 a 2018. O estudo foi de caráter revisional, tanto no contexto da literatura quanto no levantamento e tratamento de dados espaciais. Os resultados indicaram que em 2018 pelo menos 47,1% do bioma Cerrado já tinha sido convertido em áreas antrópicas, principalmente pastagens plantadas e áreas agrícolas. No período, o Cerrado perdeu mais de 30 milhões de hectares de cobertura vegetal natural, com as maiores perdas registradas nas áreas com formações savânicas.

Abstract: The geotechnologies advent, especially orbital images use, has helped to monitor Cerrado, making it possible to map and quantify natural vegetation cover losses. Numerous projects have been developed with a view at gathering spatial data on Cerrado, among them the Annual Mapping of Land Use and Coverage in Brazil (MapBiomas), which has been producing a historical series of data that has contributed to geoenvironmental studies on Brazilian vegetation domains. The aim of this study was to evaluate the dynamics of advancement of activities related to agriculture in Cerrado and losses of vegetation cover, using MapBiomas data, from 1985 to 2018. The study was of a revisionary nature, both in the context of literature and in the survey and treatment of spatial data. The results showed that in 2018 at least 47.06% of Cerrado biome had already been converted into anthropic areas, mainly planted pastures and agricultural areas. During this time, Cerrado lost more than 30 million hectares of natural vegetation cover, with the greatest losses recorded in savanna formations areas.

Key words: Agriculture. Cerrado vegetation. Phytophysiognomies. Mapbiomas. Deforestation

Resumen: La aparición de las geotecnologías, principalmente el uso de imágenes orbitales ha brindado el seguimiento del Cerrado, permitiendo el mapeo y cuantificación de las pérdidas de la cobertura vegetal natural. Numerosos proyectos se han desarrollado con miras a la compilación de datos espaciales sobre el Cerrado, entre ellos el Mapa de uso Anual de la Tierra y Cartografía de Cubiertas de Brasil (MapBiomas), que ha estado produciendo una serie histórica de datos que han contribuido en estudios geoambientes sobre los dominios de la vegetación brasileña. El objetivo de este estudio se centró en evaluar la dinámica de avance en las actividades relacionadas con la agricultura en el Cerrado y las pérdidas de la vegetación, introduciendo datos de mapbiomas, en el lapso de 1985 - 2018. La investigación se destacó por ser   de carácter revisional, tanto en el contexto de la literatura como en el estudio y tratamiento de datos espaciales. Los resultados indicaron que en 2018 al menos el 47,06% del bioma Cerrado ya se había convertido en zonas antrópicas, principalmente plantadas de pastos y zonas agrícolas. En este período, el Cerrado perdió más de 30 millones de hectáreas de vegetación natural, con las mayores pérdidas registradas en las zonascon formaciones de sabanas.

Palabras clave: Agricultura. Vegetación Cerrado. Fitófisiognomias. Mapbiomas. Deforestación

Biografia do Autor

José Carlos de Souza, Universidade Estadual de Goiás - Unidade de Minaçu

Licenciatura em Geografia pela Universidade Estadual de Goiás. Especialista em Geografia Meio Ambiente e Turismo pela Universidade Estadual de Goiás. Mestre em Geografia Física pela Universidade Federal de Goiás. Doutor em Ciências Ambientais pela Universidade Estadual Paulista. Professor da Universidade Estadual de Goiás Campus-Minaçu

Patrick Thomaz de Aquino Martins, Universidade Estadual de Goiás - Campus Formosa

Possui Graduação (Licenciatura) em Geografia pela Universidade Estadual de Santa Cruz, Especialização em Modelagem em Ciências da Terra e do Ambiente pela Universidade Estadual de Feira de Santana, Mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Sergipe e Doutorado em Geociências e Meio Ambiente pela Universidade Estadual Paulista. Atualmente é docente da Universidade Estadual de Goiás. Tem experiência na área de Geografia Física, se dedicando principalmente à análise espacial de dados ambientais. Atua, notadamente, nos seguintes temas: cobertura vegetal, uso da terra, padrão/dinâmica espacial, conflitos de uso em áreas protegidas, sensibilidade ambiental, ecologia da paisagem e mapeamento temático.

Vinícius Polzin Druciaki, Universidade Estadual de Goiás - Campus Cora Coralina

Possui graduação em Geografia pela Universidade Estadual do Centro Oeste-UNICENTRO, mestrado em Geografia pelo programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual de Maringá-UEM, e doutorado em Geografia pelo programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual Paulista -UNESP, campus Rio Claro-SP. Atua nos seguintes temas: redes, mobilidade, transportes e urbanização. Atualmente é professor do curso de Geografia da Universidade Estadual de Goiás-UEG, campus Cora Coralina, na Cidade de Goiás, e do Programa de Pós-Graduação em Geografia -PPGEO, na mesma instituição e campus. É coordenador do Grupo de Estudos em Geografia, Transportes e Mobilidade - GEOMOBILIDADE.

Referências

ALHO, C. J. R. Desafios para a conservação do Cerrado, em face das atuais tendências de uso e ocupação. In: SCARIOT, A.; SOUSA-SILVA, J. C.; FELFILI, J. M. (Orgs) CERRADO: Ecologia, Biodiversidade e Conservação. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2005.
ANDRADE, R. G. et al. Avaliação das condições de pastagens no cerrado brasileiro por meio de geotecnologias. Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável (RBAS), v.7, n.1, p.34-41, Março, 2017.
AB’SÁBER, Aziz. A organização natural das paisagens inter e subtropicais brasileiras. In: Anais do Simpósio Sobre o Cerrado, p. 1 – 14. São Paulo: Edusp, 1971.
AB’SÁBER, Aziz. Os domínios da natureza no Brasil: potencialidades paisagísticas. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.
ALHO, C. J. R. e E.S. MARTINS (eds). De grão em grão o Cerrado perde espaço. Impactos do Processo de Ocupação. WWF, Documento para discussão. Brasília, 1995.
BROSSARD, M.; BARCELLOS, A. O. Conversão do cerrado em pastagens cultivadas e funcionamento de latossolos. Cadernos de Ciência & Tecnologia, Brasília, v. 22, n. 1, p. 153-168, 2005.
BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Mapeamento do Uso e Cobertura do Cerrado: Projeto TerraClass Cerrado 2013/ MMA/ SBF/ Brasilia: MMA, 2015.
CASSETI. V. Elementos de geomorfologia. Goiânia, GO: ed. UFG, 2001.
COUTINHO, L. M. O conceito de Cerrado. Acta Botanica Brasilica, v. 1, n. 1, p. 17-23, 1978.
COUTINHO, L. M. O conceito de bioma. Acta Botanica Brasilica. v. 20, n.1, São Paulo, 2006.
COUTINHO, L. M. Biomas brasileiros. São Paulo: Oficina de Textos, 2016.
CONTI, J. B.; FURLAN, S. A. Geoecologia: O Clima, os Solos e a Biota. In: ROSS, J. S. (Org.). Geografia do Brasil. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo. 2003.
CUNHA, N. R. S. et al. A intensidade da exploração agropecuária como indicador da degradação ambiental na região dos Cerrados, Brasil. Rev. Econ. Sociol. Rural. v.46, n. 2, Brasília, abril/junho 2008.
EITEN, G. The Cerrado vegetation of Brazil. Botanical Review, New York, v. 38, n. 2, p. 201-341, 1972.
EITEN, G. Delimitação do conceito de Cerrado. In: Arquivos do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. v. XXI, Rio de Janeiro, 1977.
FELFILI, J. M.; SOUSA-SILVA, J. C.; SCARIOT, A. Biodiversidade, ecologia e conservação do Cerrado: avanços no conhecimento. In: SCARIOT, A.; SOUSA-SILVA, J. C.; FELFILI, J. M. (Orgs) CERRADO: Ecologia, Biodiversidade e Conservação. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2005.
GUIMARÃES, N. E.; LEME, H. J. C. Caracterização histórica e configuração espacial da estrutura produtiva do Centro-Oeste. In: HOGAN, J. D. et al. (Orgs). Migração e Meio ambiente no Centro-Oeste. Campinas: Unicamp/Pronex, 2002.
IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Manual técnico de uso da terra. 3ª Ed. Rio de Janeiro: IBGE. 2013.
JANSSEN, L. L. F.; VAN DER WEL, F. J. M. Accuracy assessment of satellite derived land-cover data: a review. Photogrammetric Engineering & Remote Sensing, v. 60, n. 4, p 419-426, 1994.
KLINK, C. A.; MACHADO, R. B. A conservação do Cerrado brasileiro, Megadiversidade, v. 1, n. 1, Julho, 2005.
LIMA, J. E. F. W.; SILVA, E. M. Recursos Hídricos do Bioma Cerrado: importância e situação. In: SANO, S. M.; ALMEIDA, S. P.; RIBEIRO, J. F. (Orgs). Cerrado: ecologia e flora. Embrapa Informações Tecnológicas, v. 2, 2008.
MACHADO, R. B. et al. Estimativa de perda da área do Cerrado Brasileiro. Relatório Técnico. Conservação Internacional, Brasília, DF. 2004.
MAPBIOMAS. Relatório Anual do Desmatamento no Brasil 2019 – São Paulo, SP – MapBiomas, 2020, 49 páginas. Disponível em: http://alerta.mapbiomas.org. Acesso em: jul. 2020.
MARTHA JUNIOR, G. B.; VILELA, L. Pastagens no Cerrado: baixa produtividade pelo uso limitado de fertilizantes. Planaltina: Embrapa Cerrados, 2002.
MATOS, P. F.; PESSÔA, V. L. S. A modernização da agricultura no Brasil e os novos usos do território. Geo UERJ, Rio de Janeiro, v. 2, n. 22, p. 290-322, 2011.
MIZIARA, Fausto. Expansão de fronteiras e ocupação do espaço no Cerrado: o caso de Goiás. Natureza viva Cerrado. Goiânia: Ed. da UCG, 2006.
MMA - MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE (Org.). PPCerrado –Plano de Ação para prevenção e controle do desmatamento e das queimadas no Cerrado: 2ª fase (2014-2015). Brasília: MMA, 2014.
MYERS, N. et al. Biodiversity hotspots for conservantion priorites. Nature, v. 403, p. 853-858, jan. 2000.
MÜLLER, G. Agricultura e industrialização do campo no Brasil. Revista de Economia Política. v. 2, n. 6, abril/junho, 1982.
OLIVEIRA, G. B. O Novo Código Florestal e a Reserva Legal do CERRADO; Universidade de Brasília: Brasília, Distrito Federal, Brasil, 2015; 141p.
OLIVEIRA-FILHO, A. T.; RATTER, J. A. Vegetation physiognomies and woody flora of the Cerrado biome. In: OLIVEIRA, P.S.; MARQUIS, R.J. (Orgs) The cerrados of Brazil: Ecology and natural history of a neotropical savanna. New York: Columbia University Press. 2002.
PMDBBS - Projeto de Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite. Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite. Cerrado (2002-2011). Ministério do Meio Ambiente – MMA, 2015.
PIVELLO, V. R. Manejo de fragmentos de Cerrado: princípios para a conservação da biodiversidade. In: SCARIOT, A.; SOUSA-SILVA, J. C.; FELFILI, J. M. (Orgs) CERRADO: Ecologia, Biodiversidade e Conservação. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2005.
PROBIO. Projeto de Conservação e Utilização Sustentável da Diversidade Biológica Brasileira: Relatório de Atividades. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2002.
RAUSCH, L. L. et al. Soy expansion in Brazil’s Cerrado. Conservation Letter. 2019.
RELATÓRIO ANUAL DE DESMATAMENTO 2019 – São Paulo, SP – MapBiomas, 2020 – 49 páginas. Disponível em: http://alerta.mapbiomas.org/relatorios. Acesso em: jun. 2020.
RIBEIRO, J. F.; WALTER, B. M. T. Fitofisionomias do Bioma Cerrado. In: SANO, S. M.; ALMEIDA, S. P. (Org.) Cerrado: ambiente e flora. Brasília, DF: Embrapa Cerrados, 1998, p. 87-166.
RIBEIRO, J. F; WALTER, B. M. T. As Principais Fitofisionomias do Bioma Cerrado. In: SANO, S. M.; ALMEIDA, S. P. de; RIBEIRO, J. F. (Ed.). Cerrado: ecologia e flora, v. 2. Brasília: EMBRAPA-CERRADOS, 2008.
RIBEIRO, F. R. O Eldorado do Brasil central: história ambiental e convivência sustentável com o Cerrado. In: Ecología Política, Naturaleza, sociedad y utopia. Buenos Aires: CLACSO, Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales, 2002.
SANO, E. E. et al. Mapeamento e quantificação de áreas remanescentes do cerrado através de um sistema de informações geográficas. Sociedade & Natureza, Uberlândia. v. 13, n. 25, 2001.
SANO, E. E. et al. Mapeamento semidetalhado do uso da terra do Bioma Cerrado. Pesquisa Agropecuária Brasileira. Brasília, v. 43, n.1, jan. 2008, p.153–156.
SANO, E. E. et al. Land use dynamics in the Brazilian Cerrado in the period from 2002 to 2013. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.54, e00138, 2019.
SANTANA, C. A. M. Cerrado: pilar da agricultura brasileira. In: In: BOLFE, E. L.; SANO, E. E.; CAMPOS, S. K. (Ed.). Dinâmica agrícola no cerrado: análises e projeções. Brasília, DF: Embrapa, 2020. v. 1, cap. 2, p. 39-58.
SILVA, C. M. Entre Fênix e Ceres A grande aceleração e a fronteira agrícola no Cerrado. Varia Historia, Belo Horizonte, v. 34, n. 65, p. 409-444, mai/ago 2018.
SMITH, P. et al. Greenhouse gas mitigation in agriculture. Philos. Trans. Royal Soc., v. 363, p. 789-813, 2008.
SPERA, S. A. et al. Land-use change affects water recycling in Brazil’s last agricultural frontier. Global Change Biology, 2, 3405-3413, 2016.
STRASSBURG, B. B. N. et al., Moment of truth for the Cerrado hotspot. Nature Ecology & Evolution, v. 1, Article Number: 0099, 2017.
WALTER, B. M. T.; CARVALHO, A. M.; RIBEIRO, J. F. O Conceito de Savana e seu Componente de Cerrado. In: SANO, S. M.; ALMEIDA, S. P. de; RIBEIRO, J. F. (Ed.). Cerrado: ecologia e flora v. 2. Brasília: EMBRAPA-CERRADOS, 2008.
Publicado
2020-09-08
Como Citar
Souza, J., Martins, P., & Druciaki, V. (2020). Uso e cobertura do solo no Cerrado: panorama do período de 1985 a 2018. Élisée - Revista De Geografia Da UEG, 9(2), e922020. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/elisee/article/view/10857