Primeira escrita alfabética e leitura da língua Noke Koin

  • Flávia Leonel Falchi Universidade Federal do Rio de Janeiro

Resumo

Este trabalho objetiva apresentar um estudo sobre a primeira escrita alfabética da língua Noke Koin, uma língua indígena Páno falada na Amazônia brasileira. A primeira escrita alfabética dessa língua foi elaborada pelos missionários protestantes pertencentes à organização estadunidense Missão Novas Tribos. Esses missionários, segundo Martins (2006), vão morar junto aos Noke Koin a partir de 1972. Como aponta Monte (1987), os missionários tinham para com esses índios o cruel objetivo de pregação. A Missão Novas Tribos passa a cuidar da educação escolar nas aldeias, elaborando cartilhas para serem usadas na escola. Nessas cartilhas, os missionários escrevem em conformidade com a escrita elaborada. Tendo-se em vista que não há nenhum registro que detalhe a primeira proposta de escrita alfabética para o Noke Koin, o presente trabalho tem a finalidade de descrever essa proposta a partir da escrita que se encontra nas cartilhas da Missão Novas Tribos, os primeiros materiais publicados que usam essa escrita. Assim, este trabalho trata dos grafemas empregados, da acentuação, do estabelecimento de espaços em branco, da pontuação e do uso de maiúsculas e minúsculas. Ademais, abordam-se aspectos da escrita proposta que dificultariam o letramento dos Noke Koin, bem como se trata do significado que a leitura e a escrita ganham entre os Noke Koin.

Biografia do Autor

Flávia Leonel Falchi, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Mestre em Letras e Linguística pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Cursou Bacharelado em Estudos Linguísticos por essa mesma universidade.
Publicado
2018-08-31
Seção
Linguística