A pergunta pelo Mutum e a errância de Miguilim

  • Clarissa Marchelli (UNICAMP) UNICAMP
Palavras-chave: Frequência. Marcação. Itens linguísticos adversativos e concessivos.

Resumo

O presente trabalho visa destacar as passagens nas quais o léxico erro aparece em Campo Geral, de Guimarães Rosa, compreendendo o vocábulo enquanto escolha intuitiva do autor para construção e tratamento epistemológico dado à trajetória de seu herói. Baseado na teoria de juízo de eliminação da dúvida, o trabalho tenta compreender de que forma o flagrante do erro imputa ao herói da novela a responsabilidade sob seus atos. O trabalho faz uma leitura a contrapelo do erro trágico, defendendo que a percepção de um engano e as questões éticas que dele decorrem constituem o argumento de Campo Geral. A pesquisa compreende que a escolha pelo léxico erro responde à necessidade do herói refutar a si próprio, amparado pela emoção e não exclusivamente pela razão. A pesquisa detectou que, para traçar esse movimento rotação, Miguilim opera transposições: da dúvida à decisão; da decisão à esperança. Do flagrante do próprio erro, o protagonista, primeiramente, se mantém no melindre da decisão; suficientemente munido de confiança, opta por um ou outro caminho.

Biografia do Autor

Clarissa Marchelli (UNICAMP), UNICAMP

Graduada em Letras (Port./Grego), pela UFF; Mestra em Letras ("Literatura, Cultura e Contemporaneidade), pela PUC-Rio; Doutoranda em Teoria e História Literária – UNICAMP. CV: http://lattes.cnpq.br/4716295137983292. E-mail: clariss.catarina@gmail.com.

Publicado
2018-10-01
Como Citar
Marchelli (UNICAMP), C. (2018). A pergunta pelo Mutum e a errância de Miguilim. Via Litterae (ISSN 2176-6800): Revista De Linguística E Teoria Literária, 9(1), 95-113. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/vialitterae/article/view/6702
Seção
Teoria Literária