A graça e o rabo de baleia: desejo de presença na literatura brasileira contemporânea

  • Ligia Gonçalves Diniz (UnB) Universidade de Brasília
Palavras-chave: Crítica. Literatura contemporânea. Presença. Leitura.

Resumo

Há, ainda, na crítica literária brasileira, uma constante tensão a respeito da dimensão da literariedade de romances e poemas, e da polarização entre, de um lado, correntes que defendem um maior entrelaçamento entre a temática social e o campo e a produção literários, e, de outro, aquelas cuja argumentação ira em torno da forma e da especificidade do literário para além de sua relação com o real social. Proponho, neste artigo, uma terceira via possível na reflexão contemporânea da literatura, que se concentre não sobre um caminho de sentido – seja social, seja formal –, mas pelos efeitos de presença engendrados pela leitura e germinais no próprio desejo de escrita. Para tal, esboço um quadro mais amplo de manifestações culturais atuais e então dialogo com alguns representantes jovens da literatura nacional, e trago como aporte teórico principal a obra de Hans Ulrich Gumbrecht.

Biografia do Autor

Ligia Gonçalves Diniz (UnB), Universidade de Brasília
Doutora em Teoria Literária e Literaturas pela Universidade de Brasília (UnB), com estágio “sanduíche” na Universidade de Stanford (EUA). E-mail: ligiadiniz@gmail.com.
Publicado
2016-12-31
Como Citar
Diniz (UnB), L. (2016). A graça e o rabo de baleia: desejo de presença na literatura brasileira contemporânea. Via Litterae (ISSN 2176-6800): Revista De Linguística E Teoria Literária, 8(2), 327-351. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/vialitterae/article/view/5850
Seção
Teoria Literária