ESPANTALHOS TEÓRICOS NO EMBATE ENTRE A SEMÂNTICA E A PRAGMÁTICA

  • Marina Chiara Legroski Universidade Federal do Paraná (UFPR)
Palavras-chave: Semântica. Pragmática. Metáfora. Filosofia da Ciência.

Resumo

O presente trabalho destina-se a uma discussão epistemológica da semântica e da pragmática por meio da apresentação do debate presente em dois textos: o capítulo 11 do livro Introducción a la Pragmática, de Maria Victoria Scandell, e do artigo “A semântica,a pragmática e seus mistérios”, de Renato Basso e Roberta Pires de Oliveira. Com base nesses textos, pretendo discutir a ideia presente na filosofia da ciência – trazida a esse trabalho pelo livro de Steven Pinker, De que é feito o pensamento – segundo a qual o debate epistemológico se dá por meio da construção de um espantalho teórico, ou seja, um inimigo facilmente derrotável por outro tipo de abordagem. Essa análise confronta dois tipos de argumentação científica: de um lado, o texto da pragmaticista, desqualificando a semântica e, de outro, o texto dos dois semanticistas, argumentando de forma mais ponderada. Com isso, podemos perceber que é possível debater sem precisar da construção de um inimigo fácil de derrotar e que, principalmente, não é necessário que se desqualifique o “oponente” para que seja justificada uma nova abordagem. 
Como Citar
Legroski, M. (1). ESPANTALHOS TEÓRICOS NO EMBATE ENTRE A SEMÂNTICA E A PRAGMÁTICA. Via Litterae (ISSN 2176-6800): Revista De Linguística E Teoria Literária, 2(1), 131-150. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/vialitterae/article/view/5409
Seção
Linguística