UM ESTUDO SOBRE A VARIAÇÃO TER E HAVER EXISTENCIAIS NA ESCRITA DE ALUNOS DOS ENSINOS FUNDAMENTAL E MÉDIO DA CIDADE DE MACEIÓ

  • Elyne Giselle de Santana Lima Aguiar Vitório Universidade Federal de Alagoas
Palavras-chave: Variação linguística. Ter/haver existenciais. Escolaridade.

Resumo

A partir da Teoria da Variação Linguística (LABOV, 2008[1972]), realizamos um estudo sincrônico sobre o uso variável dos verbos ter e haver existenciais na escrita de alunos dos ensinos fundamental e médio da cidade de Maceió, a fim de observar se há variação desses verbos no corpus analisado e, em caso afirmativo, como essa variação ocorre. De acordo com os resultados obtidos, constatamos que há variação ter e haver existenciais no corpus analisado e que essa variação é condicionada pelos fatores tempo verbal e escolaridade. Devido à relevância deste fator, procuramos demonstrar a importância da escolarização no uso de haver existencial, pois o acesso às regras gramaticais é determinante na escolha pelas variantes ter e haver com sentido de existir na língua escrita. 

Biografia do Autor

Como Citar
Vitório, E. (1). UM ESTUDO SOBRE A VARIAÇÃO TER E HAVER EXISTENCIAIS NA ESCRITA DE ALUNOS DOS ENSINOS FUNDAMENTAL E MÉDIO DA CIDADE DE MACEIÓ. Via Litterae (ISSN 2176-6800): Revista De Linguística E Teoria Literária, 2(1), 75-87. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/vialitterae/article/view/5405
Seção
Linguística