O existencialismo, o fantástico e as rupturas da cena num drama português moderno

  • Milca Tscherne Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP–Araquara).
Palavras-chave: Teatro Português. Dramaturgia. Fantástico. Existencialismo. Luiz Francisco Rebello.

Resumo

 Análise da peça Condenados à vida, de Luiz Francisco Rebello, considerando o existencialismo e o fantástico como elementos promotores de descontinuidades cênicas e que, portanto, exigem a presença do épico no drama para organizar a unidade dramática.

Biografia do Autor

Milca Tscherne, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP–Araquara).

Doutora em Estudos Literários pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP–Araquara) e Pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Dramaturgia da mesma instituição. 

Como Citar
Tscherne, M. (1). O existencialismo, o fantástico e as rupturas da cena num drama português moderno. Via Litterae (ISSN 2176-6800): Revista De Linguística E Teoria Literária, 3(1), 195-207. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/vialitterae/article/view/5381
Seção
Teoria Literária