A interpretação de escala de verbos deadjetivais: entre o domínio da semântica e da pragmática

  • Maria José Foltran Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Adriano Scandolara Universidade Federal do Paraná (UFPR)
Palavras-chave: Escala semântica. Escala pragmática. Adjetivos, Verbos deadjetivais.

Resumo

O foco deste trabalho é a noção de escala apresentada a partir de duas diferentes teorias: uma semântica, que a propõe como uma propriedade do item lexical (MCNALLY; KENNEDY, 1999; 2005), e outra pragmática, na qual ela é inferida a partir do contexto (FAUCONNIER 1975). Aplicando-se as noções de Mcnally e Kennedy (2005) para o Português Brasileiro e isolando-se os verbos deadjetivais, constatamos que, apesar de parecer ser possível classificar esses verbos dentro das categorias propostas pelos autores, essa sistematização é problemática na medida em que os critérios de categorização se confundem entre os propriamente semânticos e os pragmáticos, comprometendo a análise. Através deste estudo, diferenciamos os dois tipos de critérios, explicitando, assim, as limitações de ambas as análises, além de propormos medidas para um modelo mais refinado, que retoma as ideias iniciais de Rappaport (2008).

Biografia do Autor

Maria José Foltran, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Doutora em Linguística pela Universidade de São Paulo (USP). Professor Associado na Universidade Federal do Paraná (UFPR). E-mail: mfoltran@ufpr.br.

Adriano Scandolara, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Adriano Scandolara

Mestrando em Linguística pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Como Citar
Foltran, M., & Scandolara, A. (1). A interpretação de escala de verbos deadjetivais: entre o domínio da semântica e da pragmática. Via Litterae (ISSN 2176-6800): Revista De Linguística E Teoria Literária, 3(2), 345-360. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/vialitterae/article/view/5356
Seção
Linguística