A gramaticalização do juntivo todavia na história do português

  • Tatiana Mazza Silva-Surer Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP)
Palavras-chave: Mudança linguística. Gramaticalização. Juntivo adversativo “todavia”

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar a análise da mudança sintático-semântico-pragmática do juntivo adversativo “todavia” na história do português. Tendo como fundamentação teórica os postulados da gramaticalização, comprovaremos, por meio de análises contextuais que explicam o surgimento do uso conjuncional adversativo do item, a trajetória de mudança advérbio > conjunção. Para análise, utilizamos como corpora dados de escrita de diferentes textos do século XIII até o século XX. Além disso, faremos uma breve discussão do juntivo “todavia” baseada nos estudos de Sweetser (1990) sobre o adversativo italiano tuttavia e o inglês anyway, mostrando as semelhanças do adversativo português com estes adversativos e a importância da metáfora para explicar o processo de mudança.

Biografia do Autor

Tatiana Mazza Silva-Surer, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP)

Doutoranda no programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos na Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP - São José do Rio Preto), na área de Análise Linguística e na linha de pesquisa de Variação e Mudança Linguística. Bolsista CAPES.

Como Citar
Silva-Surer, T. (1). A gramaticalização do juntivo todavia na história do português. Via Litterae (ISSN 2176-6800): Revista De Linguística E Teoria Literária, 4(1), 107-121. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/vialitterae/article/view/5348
Seção
Linguística