Ressonâncias históricas nas narrativas literárias de O Tronco, Quinta-feira Sangrenta e Serra dos Pilões

  • Tereza Ramos de Carvalho Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
Palavras-chave: Literatura e história. Tensão. Interlocução.

Resumo

O objeto do presente trabalho é analisar, numa perspectiva comparada, as tensões entre literatura e história social na literatura “tocantinense”, observando a interlocução entre autores, obras e contextos. Tomou-se como objeto de estudo as obras O Tronco,de Bernardo Élis, Quinta-feira Sangrenta,  de Osvaldo Rodrigues Póvoa e Serra dos Pilões – Jagunços e Tropeiros, de Moura Lima. Ambientadas respectivamente nos municípios de Dianópolis e Pedro Afonso das primeiras décadas do século XX, as narrativas estão inseridas num contexto de desmandos, abandono e violência, onde prevalecia o poder dos coronéis e a força dos jagunços e cangaceiros, protagonistas de muitos eventos trágicos. Pretende-se apontar como os autores se apropriaram desses eventos e os plasmaram em suas narrativas, destacando o dialogismo entre elas e a história.

Biografia do Autor

Tereza Ramos de Carvalho, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Doutora em Literatura pela Universidade de Brasília (UnB) e professora na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). E-mail: tramos10@yahoo.com.br.

Como Citar
Carvalho, T. (1). Ressonâncias históricas nas narrativas literárias de O Tronco, Quinta-feira Sangrenta e Serra dos Pilões. Via Litterae (ISSN 2176-6800): Revista De Linguística E Teoria Literária, 7(2), 351-366. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/vialitterae/article/view/4800