O NARRADOR: DO TRADICIONAL AO MODERNO

  • Sebastião Augusto Rabelo Universidade Estadual de Goiás (UEG)
Palavras-chave: Tradicional (narrador). Moderno. Monólogo interior. Fluxo da consciência

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar as características do narrador tradicional que perduraram até meados do século XIX, bem como a postura do narrador que, a partir de então, começa a se transformar substancialmente na estrutura narrativa. A nova postura do narrador deságua no monólogo interior e fluxo da consciência. Há também a pulverização do tempo cronológico, posto que agora o espaço primordial é a mente do narrador e das personagens. À medida que o narrador vai se afastando do poder da onisciência, as personagens se tornam consciências narrantes, cabendo ao leitor formar a sua verdade, uma vez que o narrador moderno não apresentará uma única verdade.

Biografia do Autor

Sebastião Augusto Rabelo, Universidade Estadual de Goiás (UEG)
Doutor em Teoria Literária pela Universidade Estadual Paulista. Professor da Universidade Estadual de Goiás (UEG).
Como Citar
Rabelo, S. (1). O NARRADOR: DO TRADICIONAL AO MODERNO. Via Litterae (ISSN 2176-6800): Revista De Linguística E Teoria Literária, 1(1), 240-255. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/vialitterae/article/view/4572
Seção
Teoria Literária