O princípio de Borromeu e o ecossistema linguístico triádico

  • Genis Frederico Schmaltz Neto Universidade de Brasília (UnB)
Palavras-chave: Ecossistema, Tríade, Princípio de Borromeu

Resumo

Este texto tem por objetivo discutir a representação visual adotada por Couto (2007) para se referir ao ecossistema linguístico da Linguística Ecossistêmica. Partindo de asserções matemáticas a respeito da formação do triângulo, bem como da explanação de alternativas gráficas que recorrem tanto a técnicas 3D quanto a variações basilares, constata-se que a tríade P-L-T não é contemplada em sua complexidade por meio do uso triangular corrente por Couto em seus manuais. Recorre-se, portanto, ao princípio de Borromeu disseminado por Lacan (1972) para propor a representação visual ecossistêmica por meio do entrelaçamento de nós que separados esfacelam-se, porém, quando juntos, evidenciam a relação interdinâmica e dinamizadora dos elementos de uma teoria que prioriza a concepção do todo em detrimento de uma estrutura fixa.

Biografia do Autor

Genis Frederico Schmaltz Neto, Universidade de Brasília (UnB)
Doutorando em Linguística pela Universidade de Brasília (Bolsista CNPq). Mestre em Letras e Linguística pela Universidade Federal de Goiás (UFG), possui graduação em Letras pela mesma instituição. Integra o Núcleo de Estudos em Ecolinguística e Imaginário (NELIM). 
Como Citar
Schmaltz Neto, G. (1). O princípio de Borromeu e o ecossistema linguístico triádico. Via Litterae (ISSN 2176-6800): Revista De Linguística E Teoria Literária, 7(1), 21-29. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/vialitterae/article/view/4446