A memória de criança em As pequenas memórias e em O silêncio da água, de José Saramago

  • Massillania Gomes Medeiros Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
Palavras-chave: Saramago, Memória, Infância

Resumo

O presente trabalho tem por pretensão tratar um pouco da memória, dentro da vasta amplidão que ela suscita, e dos registros memorialísticos de José Saramago, mais especificamente de sua infância, em um episódio narrado em seu livro As pequenas memórias, lançado no Brasil em 2006. Este romance foi escrito com uma linguagem um pouco diferente da utilizada nos seus demais livros, mas com um estilo ficcional próprio. Em As pequenas memórias, o narrador busca relatar os momentos que lhe marcaram, e que lhe suscitaram as reflexões que o homem feito e escritor famoso luta por não deixar esquecer, já que julga de extrema importância, para que não se deixem olvidar os seus leitores de quem ele foi.  No Brasil, a editora Companhia das Letras publicou, em 2010, um dos episódios narrados no romance em forma de livro para crianças, denominando-o de O silêncio da água. Em nosso trabalho, analisamos esse episódio a partir de teorias de Bachelard (2007) e Oliveira Filho (s/d), a partir de quem refletimos sobre a necessidade do ato de rememorar praticado pelo artista e sobre as impressões que o adulto constrói ao lembrar-se de momentos de sua infância.

Biografia do Autor

Massillania Gomes Medeiros, Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Literatura e Interculturalidade (PPGLI), Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).
Como Citar
Medeiros, M. (1). A memória de criança em As pequenas memórias e em O silêncio da água, de José Saramago. Via Litterae (ISSN 2176-6800): Revista De Linguística E Teoria Literária, 6(1), 107-119. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/vialitterae/article/view/3467
Seção
Teoria Literária