AVALIAÇÃO DOS DANOS AMBIENTAIS PROVOCADOS PELO DESASTRE TECNOLÓGICO DA MINERADORA VALE S.A. NO VALE DO RIO PARAOPEBA

  • Alfredo Costa Instituto Federal do Norte de Minas Gerais
  • Isabel Patrícia Martins Baêta Guimarães Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
  • Gabriela Barreto de Oliveira Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
  • Laís Carneiro Mendes Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
  • Mirella Nazareth de Moura Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
  • Anna Cristina Alvares Ribeiro Machado
  • Lídia Aparecida dos Reis
  • Miguel Fernandes Felippe Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)

Resumo

Resumo: No dia 25 de janeiro de 2019, o Brasil foi assolado por mais um desastre tecnológico de proporções alarmantes, denotando as insuficiências dos dispositivos institucionais voltados ao planejamento ambiental. O rompimento da Barragem I do Complexo Minerário do Córrego do Feijão (Vale S.A.), em Brumadinho-MG, gerou um aporte de 12 milhões de m³ de rejeito no Ribeirão Ferro-Carvão, afluente do Rio Paraopeba, promovendo significativos danos ambientais e perda de centenas de vidas. Na urgência de compreender a geograficidade da tragédia, foi organizada uma expedição para reconhecimento dos danos ambientais no vale do Rio Paraopeba. As informações de campo, somadas aos dados secundários obtidos junto aos órgãos do governo e à empresa responsável pela barragem, permitiram a aplicação de uma matriz de avaliação de impactos ambientais. Os resultados obtidos denotam expressivos danos aos meios físico, biótico e sociocultural, não apenas nas áreas recobertas pelos rejeitos, mas em toda a extensão do corredor hídrico afetado, o que permitiu uma imersão sobre a natureza da degradação ambiental gerada, bem como sua espacialidade ante à magnitude da tragédia.

Palavras-Chave: Degradação Ambiental. Brumadinho. Vale S.A. Rompimento de Barragem. Avaliação de Impactos.

 

Abstract: On January 25, 2019, Brazil was plagued by another technological disaster of alarming proportions, denoting the insufficiencies of institutional arrangements for environmental planning. The disruption of one of the Vale S.A. Mining Complex Dams in Brumadinho-MG generated a contribution of 12 million m³ of tailings in the Ferro-Carvão river, a tributary of the Paraopeba River, causing significant environmental damage and loss of hundreds of lives. In an urgent need to understand the geography of the tragedy, an expedition was organized to identify the environmental damages in the Paraopeba River valley. The field information gathered, added to the secondary data obtained from the government agencies and the mining company, allowed the application of an environmental impact assessment matrix. The results show significant damage to the physical, biotic and sociocultural environments, not only in the areas covered by the tailings, but in the entire length of the affected water corridor, which allowed for an immersion into the nature of the environmental degradation generated, as well as in its tragedy’s spatiality.

Key-words: Ambiental degradation. Brumadinho. Vale S.A. Dambreak; Impact Assessment.

Publicado
2019-12-17