APONTAMENTOS CRÍTICOS SOBRE A ESCOLA INCLUSIVA

  • Fernando Lionel Quiroga Universidade Estadual de Goiás (UEG)
  • Miriam Lorena Marques Silva Universidade Estadual de Goiás (UEG)
  • Beatriz Aparecida Paolucci Universidade Federal de Goiás (UFG)

Resumo

O presente ensaio é o resultado do projeto de pesquisa intitulado “A inclusão e o cotidiano no contexto da escola pública do Município de Iporá (2018-2020)”, que contou com a participação de um projeto de iniciação científica. O objetivo central deste ensaio é um exercício de problematização acerca da ideia de educação inclusiva considerando o contexto histórico-político de sua implantação na escola brasileira: o neoliberalismo dos anos 1990. Partimos do problema inicial que se constata na ideia de inclusão quanto a ambiguidade de sentidos que o termo suscita, produzindo, na prática, certo mal-estar. Discutimos de que modo, do ponto de vista simbólico, esta noção se materializa no interior da escola. Com efeito, lançamos a hipótese do bode expiatório como possibilidade interpretativa ao fenômeno. Tal crítica permite-nos um alinhamento a ideia de má-fé institucional, na medida em que buscamos demonstrar os sentidos intestinos, embora silenciados, do funcionamento e papel da inclusão no sistema da escola pública.

Palavras-chave: Educação Inclusiva. Neoliberalismo. Má-fé Institucional. Bode Expiatório.

Biografia do Autor

Fernando Lionel Quiroga, Universidade Estadual de Goiás (UEG)

É doutor e mestre em Ciências pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). É Professor efetivo da Universidade Estadual de Goiás (UEG) onde atua na área de Fundamentos da Educação, lotado no Centro de Ensino Aprendizagem em Rede (CEAR). 

Miriam Lorena Marques Silva, Universidade Estadual de Goiás (UEG)

É acadêmica do curso de Letras pela Universidade Estadual de Goiás (UEG), unidade Iporá. Foi aluna bolsista de Iniciação Científica/UEG na modalidade PBIT/UEG durante o período 08/2018 a 07/2019.

Beatriz Aparecida Paolucci, Universidade Federal de Goiás (UFG)

Possui formação em Educação Física pela FEFISO - Faculdade de Educação Física de Sorocaba e em Pedagogia pela Faculdade de Pinhais (Especialista da educação, coordenação e supervisão escolar.) - FAPI. Tem experiência profissional como professora PEB I e na área da Educação Física escolar e em academias/personal training e ginástica laboral. Atuou como professora de Natação e Hidroginástica (1994-2010). É especialista em Psicopedagogia Institucional (2005), Direito Educacional (2007) e Arte, Educação e Terapia (2014), Educação, Formação Docente e Linguagem (2017). Possui experiência em educação especial - AMAI - Itu. Seus temas de interesse incluem as questões relativas à prática docente e sua abrangência no contexto contemporâneo, desdobrando-se para assuntos como mal-estar docente, produção de sentidos acerca da profissão, sociologia das profissões. Atualmente desenvolve pesquisa em nível de mestrado acadêmico pela Universidade Federal de Goiás - FEFD - Faculdade de Educação Física e Dança na linha de pesquisa Aspectos Socioculturais e Pedagógicos da Educação Física e Esporte. Seus interesses de pesquisa concentram-se em temas como inclusão, saúde coletiva, educação, políticas educacionais.

Publicado
2021-07-07
Seção
Número Especial Linguagens e Educação