O ATAQUE NAS RUAS E NAS REDES SOCIAIS

A (IN)SUPORTÁVEL PRESENÇA DO (O)OUTRO

Resumo

O momento vivenciado pela Pandemia faz com que se reflita sobre as condições de produção de discursos que têm circulado constantemente pelas mídias, legitimados por uma autoridade que representa a nação brasileira. É a partir disso que podemos dizer sobre as relações que constituem os sujeitos e os sentidos, interpelados por uma memória histórica e social que coloca em funcionamento processos de significação nos modos como os sujeitos lidaram/lidam com a Pandemia. A Pandemia apresenta-se, portanto, como um grande golpe para o sujeito das certezas e para o capitalismo neoliberal, expondo a fragilidade de ambos, mas ela mostra também que precisamos de saúde para todos, de educação de qualidade e de segurança para aprendermos a enfrentar outras pandemias que as condições de desigualdade produziram/produzirão.

Biografia do Autor

Olimpia Maluf Souza, Universidade do Estado de Mato Grosso

Docente do Programa de Pós-graduação Strecto Sensu em Linguística da Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT. Doutora em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP.

Publicado
2021-11-22
Seção
Dossiê Novo Normal (?): Artes e Diversidades em isolamentos