A LITERATURA EM TODO LUGAR

CONTANDO HISTÓRIAS POR MEIOS DIGITAIS

Resumo

No contexto social pandêmico que perpassa a humanidade, a literatura emerge como meio para que o indivíduo possa ser e estar em outros lugares. Considerando seu poder humanizador, a literatura dialoga intimamente com toda a carga que advém do atual momento, e proporciona um abrandamento das emoções angustiantes. Dessa forma, as contações de histórias - provenientes desde as civilizações mais antigas, por meio da oralidade – (re)encontram na atualidade um momento propício para unir as pessoas em torno de uma história que alimenta a imaginação, transportando o sujeito para outras órbitas. Sendo assim, o presente artigo pretende articular literatura e sociedade, por meio de contações de histórias em meios digitais, apresentando uma prática mediante o livro “Lívio Lavanda” (2018), de Michael Roher. Para tanto, nos embasamos nos pressupostos teóricos estabelecidos por Barcellos e Neves (1995), Coelho (1998), Girardello (2014), Girotto e Souza (2010), e Cosson (2020). Apresentaremos as etapas da contação – antes, durante e depois –, os critérios para escolha da obra, como também os resultados provenientes das contações, através de transcrições dos depoimentos dos ouvintes. Além disso, relataremos os recursos digitais utilizados para a produção do material. Essa pesquisa pretende servir de referencial para professores e contadores de histórias, promovendo estímulo para que tal prática seja cada vez mais evidente na sociedade, não se limitando apenas ao público infantil, mas estabelecendo relações entre todos os públicos de leitores, pois evidencia uma prática de leitura mediada, que por meio da voz e dos suportes expandem os horizontes ao propagar a literatura.

Palavras-chave: Literatura. Contação. Digital. Diálogo.

Biografia do Autor

Isaque da Silva Moraes, Universidade Federal da Paraíba

Graduando em Letras - Língua Portuguesa, pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Membro do Grupo de Pesquisa em Estágio, Ensino e Formação Docente (GEEF/UFPB). E-mail: moraes.isaque050@gmail.com

 

Daniela Maria Segabinazi, Universidade Federal da Paraíba

Doutora em Letras pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Graduada em Letras e Direito, pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ). É professora e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL/UFPB) e dos Cursos de Graduação em Letras (presencial e a distância) da UFPB. Líder do grupo de pesquisa “Estágio, ensino e formação docente” (GEEF - http://www.ufpb.br/geef) e membro do Grupo de Trabalho Literatura e Ensino da ANPOLL. Tem experiência na área de ensino de literatura, estágios de literatura, literatura infantil e juvenil, com pesquisa nos seguintes temas: literatura infantil e juvenil, literatura e ensino, literatura brasileira contemporânea e formação de professores. Tem publicações na área de literatura infantil e juvenil, ensino de literatura e formação de professores. E-mail: dani.segabinazi@gmail.com

Publicado
2021-11-22
Seção
Dossiê Novo Normal (?): Artes e Diversidades em isolamentos