MEMES:

EFEITOS DE SENTIDO NAS REDES SOCIAIS

  • Simone de Sousa Naedzold Unemat - Cáceres e SEDUC-MT
  • Débora Pereira Lucas Costa Unemat/Cáceres e Unifasipe/Sinop

Resumo

As redes sociais disponibilizam informações sobre diversos assuntos. A tecnologia proporciona ferramentas para circulação de dizeres de forma onipresente e constante. O digital ressignifica a sociabilidade, produz uma linguagem própria e é condição de produção para discursos que se constituem na circulação. Nessa proposta de trabalho, selecionou-se o comunicador instantâneo WhatsApp para observação e escolha do corpus de análise, que é composto de uma decisão judicial sobre o assunto e por memes e meme stickers - discursos on-line, compostos por palavras e/ou imagens que podem ser copiados, reeditados e compartilhados. Este conjunto examinado foi posto a circular entre os meses de março e junho de 2020, envolvendo temáticas da política brasileira, em tempos de pandemia Covid-19. Com fundamentos teóricos e metodológicos da Análise de Discurso, recorre-se principalmente aos preceitos de Michel Pêcheux, Eni Orlandi e Cristiane Dias, com o objetivo de compreender como esses discursos são formulados e se constituem, produzindo sentidos possíveis. Esse percurso reflexivo passa pelas definições de meme, pelos processos de textualização dos discursos e a digitalidade, pelos encontros com o olhar do outro, pelas relações de força, poder e contrapoder. Mobiliza-se, entre outras noções, as de discurso, condições de produção, memória, ideologia e autoria. Conclui-se que nos sentidos da leitura de memes algo escapa, vaza. A língua, a história e o sujeito se atravessam e são atravessados nos discursos produzindo diferentes sentidos. Este trabalho integra as atividades do Grupo de Pesquisa Educação e Estudos de Linguagem (GEdEL), da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat).

Biografia do Autor

Simone de Sousa Naedzold, Unemat - Cáceres e SEDUC-MT

Doutoranda em Linguística pela Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat/Cáceres), Mestra em Letras (Profletras - Unemat/Sinop) e Graduada em Letras - Habilitação em Línguas Portuguesa e Espanhola e Literaturas Portuguesa, Brasileira e Espanhola pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professora da Rede Estadual de Educação de Mato Grosso (SEDUC - MT, Sinop).

Débora Pereira Lucas Costa, Unemat/Cáceres e Unifasipe/Sinop

Doutoranda em Linguística pela Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat/Cáceres), Mestre em Letras (Unemat/Sinop) e Graduada em Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo, pela Universidade Católica de Pelotas (UCPel). Professora do Centro Universitário Fasipe (Unifasipe/Sinop).

Publicado
2021-12-09
Seção
Dossiê Novo Normal (?): Artes e Diversidades em isolamentos