POLÍTICAS E AÇÕES INSTITUCIONAIS PARA O ENSINO REMOTO EMERGENCIAL NA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Resumo

A situação de pandemia causada pelo novo coronavírus trouxe novos desafios à educação superior, principalmente no contexto das universidades públicas. Este trabalho tem como objeto de análise as políticas e ações institucionais desenvolvidas pela Universidades Federais da Região Centro-Oeste no período de atividades acadêmicas remotas desde março de 2020. O caminho metodológico da construção do texto organiza-se em duas etapas: a) revisão bibliográfica com foco no ensino remoto emergencial na educação superior, por meio de uma Revisão Sistemática de Literatura (RSL) das publicações de 2020 e 2021; e b) análise documental com base nos documentos e sites institucionais das oito Universidades Federais da Região Centro-Oeste. Concluímos que as políticas e ações institucionais desenvolvidas pelas universidades no período de atividades acadêmicas remotas têm mantido a vida universitária em curso e possibilitaram uma reorganização pedagógica, tencionando constantes mudanças nas estratégias didáticas para gestão da aprendizagem nos espaços virtuais e trazendo novos desafios para inclusão digital e para formação continuada de professores e estudantes com vistas a permitir a participação e a construção de experiências de aprendizagem nesses espaços.

Biografia do Autor

Daiani Damm Tonetto Riedner, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Professora Adjunta da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Desde 2016 coordena o Grupo de Pesquisa em Educação, Tecnologias e Formação Docente (EduTec/UFMS). Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2010), Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2013) e Doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2018). Atua nos temas de educação, mídias, tecnologias digitais, aprendizagem criativa, recursos educacionais abertos e educação a distância.

Carina Elisabeth Maciel, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Professora Adjunta da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Campus Campo Grande. É coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Políticas de Educação Superior / Mariluce Bittar- GEPPES/MB.

Kelly Cristina da Silva Ruas, Universidade Federal de Goiás

Professora do Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada a Educação da Universidade Federal de Goiás. Doutoranda em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Publicado
2021-11-22
Seção
Dossiê Qualidade e Inovação da/na Educação: concepções, possibilidades e desafio