QUALIDADE DE VIDA E SOBRECARGA EM CUIDADORES DE CRIANÇAS COM SÍNDROME DE DOWN

Autores

  • Edriele Guimarães Amaral
  • Marieny Sousa Mendonça
  • Cejane Oliveira Martins Prudente
  • Maysa Ferreira Martins Ribeiro

Resumo

A qualidade de vida de quem cuida do outro, bem como a sobrecarga, depende da frequente autovaliação do cuidador em confrontar consigo mesmo. Esta frequente autoavaliação é necessária aos cuidadores de crianças com síndrome de Down, na busca do impacto da sobrecarga na qualidade de vida. O objetivo do presente estudo foi avaliar a qualidade de vida e a sobrecarga em cuidadores de crianças com síndrome de Down em uma instituição de Goiânia. Trata-se de um estudo descritivo transversal. Foi utilizado o questionário de caracterização sociodemográfica, a escala de sobrecarga do cuidado de Zarit para avaliação da sobrecarga percebida e o Medical Outcomes Study Short-Form Health Survey (SF-36) para avaliação da qualidade de vida relacionada à saúde. A amostra do estudo foi composta por 30 cuidadores de crianças com síndrome de Down, com média de idade de 35,2 anos. Os resultados indicaram sobrecarga moderada na maioria dos cuidadores. O pior valor encontrado no SF-36 foi no domínio vitalidade e o melhor, no domínio capacidade funcional. Houve correlação significativa entre o SF-36 e a escala de Zarit nos domínios estado geral de saúde, aspectos sociais, aspectos emocionais e saúde mental.
Foi constatado que quanto maior a sobrecarga do cuidador pior sua qualidade de vida.

Downloads

Publicado

2018-03-03

Edição

Seção

Artigo Original

Como Citar

QUALIDADE DE VIDA E SOBRECARGA EM CUIDADORES DE CRIANÇAS COM SÍNDROME DE DOWN. (2018). Movimenta (ISSN 1984-4298), 4(2), 99-108. //www.revista.ueg.br/index.php/movimenta/article/view/7142