TENSÃO MATRICIAL E UMIDADE DO SOLO:

UMA ANÁLISE DE CORRELAÇÃO EM TRÊS CLASSES DE LATOSSOLOS NA ALTA BACIA DO RIBEIRÃO SANTO ANTÔNIO

  • FLÁVIO ALVES SOUSA UEG - Universidade Estadual de Goiás

Resumo

Resumo: O estudo investigou a correlação entre a umidade residual e a tensão matricial do solo para avaliar como uma interfere na outra. Para isso foram feitas análises em três classes de latossolos na alta bacia hidrográfica do Ribeirão Santo Antônio, e em cada local foram feitas medidas de condutividade hidráulica e da tensão do solo. Também foram coletadas amostras indeformadas de solo utilizando cilindro volumétrico para análise da umidade residual em laboratório. Análise da textura dos solos também foi realizada, e ao final, foi gerada uma tabela de correlação entre tensão matricial e umidade residual. A correlação entre umidade do solo e tensão matricial se mostrou forte, com diminuição da tensão quando aumenta a umidade residual do solo. Também o teor de argila se mostrou eficiente na retenção de água, com valores de retenção de umidade maior nos solos com maior teor de argila. A correlação entre condutividade hidráulica e umidade residual foram fortes, pois uma vez aumentando-se a umidade do solo a condutividade tende a diminuir. O tensiômetro utilizado embora simples se mostrou bastante eficiente na correlação com a umidade do solo, demonstrando nos experimentos que é possível fazer inferências da umidade através dos dados de tensão matricial e de tensão matricial pela umidade.  

Palavras-chave: Tensão. Umidade. Condutividade. Solo.

Biografia do Autor

FLÁVIO ALVES SOUSA, UEG - Universidade Estadual de Goiás

Docente da UEG - Universidade Estadual de Goiás, Campus Oeste, Iporá (GO)

Publicado
2022-01-18
Seção
Artigos