UM PASSO ATRÁS:A Educação no pós-2018.

  • Keides Bastista Vicente UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS
  • Beatriz Rocha

Resumo

Pretende-se apresentar considerações sobre o posicionamento dos ocupantes do MEC (Ministério da Educação) no pós 2018 e a instabilidade do cargo com a variação de nomes que ocuparam a pasta. E como tal instabilidade contribuiu para o avanço de uma proposta de reformas conservadoras para a Educação. Para realização da pesquisa foram utilizados reportagens na imprensa de circulação nacional, como revista Veja, Exame, jornais como El Pais, Uol e Globo. Para elaborar as discussões, fundamentou-se numa pesquisa de cunho bibliográfico, baseado em autores, como Taffarel e Neves (2019), Rezera e D’Alexandre (2019), Araújo (2020). Em um primeiro momento apresentou-se a educação em descompasso com a instabilidade de representantes do Ministério da Eduação. Em um momento posterior apresentou-se as reformas conservadoras para a educação. Ao final será possível compreender algumas das nuances da educação no pós-2018.

Biografia do Autor

Keides Bastista Vicente, UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS

LICENCIADA E BACHAREL EM HISTÓRIA. ESPECIALISTA EM HISTÓRIA DO BRASIL MESTRE EM HISTÓRIA SOCIAL PROFESSOR EFETIVO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIAS NA DISCIPLINA DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO EM HISTÓRIA. PROFESSORA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO.

Beatriz Rocha

Graduada em Pedagogia UEG, Câmpus Sudeste, Unidade Universitária de Pires do Rio. Professora na Associação Adelino de Carvalho. Lattes: http://lattes.cnpq.br/0210641617395902 .

Publicado
2022-02-18