Achegas ao fenômeno do empréstimo linguístico: redefinindo os termos empréstimo e estrangeirismo

Resumo

O empréstimo linguístico é um processo que consiste na adoção por uma língua de unidade, sentido ou construção (morfema, unidade lexical, construção sintática, conceito, etc.) proveniente de outro idioma. Nesse fenômeno, porém, há vários conceitos e denominações. Para designar a palavra importada, por exemplo, empregam-se vários termos (empréstimo, estrangeirismo, exotismo, peregrinismo, xenismo, alógeno, alienígena, barbarismo, palavra estrangeira, etc.), estando o conflito maior no par empréstimo-estrangeirismo. Por conta disso, nosso objetivo é descrever as variações denominativa e conceitual dos termos “empréstimo” e “estrangeirismo”. O método utilizado para alcançar nosso objetivo é o bibliográfico-comparativo a partir da consulta a dicionários gerais e especializados e aos estudiosos da área. Além disso, revisitando o conceito de “adaptação”, para mostrar que o primeiro nível de adaptação de formas estrangeiras é o fonético-fonológico, propomos, em substituição ao par estrangeirismo-empréstimo, os termos “empréstimo não adaptado graficamente” (e-mail, shopping) e “empréstimo adaptado graficamente” (estresse, becape). Finalmente, a partir dos termos propostos, elencaremos cinco tipos de importação lexical: empréstimo não adaptado graficamente, empréstimo adaptado graficamente, empréstimo traduzido, empréstimo semiadaptado graficamente e empréstimo de sentido.

Biografia do Autor

Fernando Moreno da Silva, Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP)

Bacharelado em Jornalismo (2001) pela UNESP/Bauru. Mestrado (2006) e Doutorado (2009) pela UNESP/Araraquara (Capes 6). Pós-Doutorado (Bolsa FAPESP/2012) em Linguística pela UNESP/Araraquara. Pós-Doutorado (Bolsa CNPq/PDS/2020) em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS/Capes 7). Foi Diretor de Pesquisa da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPG/UENP) entre 2014 e 2018. Desde 2012, é professor da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP/Campus Jacarezinho), onde atua na graduação e no Mestrado Profissional em Letras. Também é editor da Revista Claraboia (ISSN 2357-9234) e líder do GruPEL-UENP (Grupo Paranaense de Estudos do Léxico). Áreas de interesse: morfologia e estudos do léxico.

Publicado
2021-06-14
Seção
Artigos