Lutas populares pela moradia em Goiânia-GO-Brasil: as narrativas e a espacialização a partir da imprensa goiana entre 1975 e 1990

Popular struggles for home in Goiânia, Goiás, Brazil: narratives and spatialization from the Goiás press between 1975 and 1990

  • Lythielle Silva Almeida Universidade Federal de Goiás - IESA
  • Leandro Oliveira de Lima Universidade Federal de Goiás - IESA
Palavras-chave: lutas populares; moradia; Goiânia.

Resumo

O Brasil tem uma longa trajetória de políticas de planejamento urbano. Uma das marcas mais evidentes destas políticas foram a construção de três cidades no interior do território nacional. Em Goiânia, construída como capital do Estado de Goiás, a memória das lutas por moradia tem muito a contribuir no entendimento da qualidade, do direcionamento e dos efeitos socioespaciais das políticas de planejamento urbano. Goiânia seguiu um percurso histórico de produção do espaço, incentivando a dispersão geográfica, dificultando a mobilidade urbana e com fortes repercussões na periferização socioespacial da moradia. Nesse sentido, nosso objetivo é recompor a luta pela moradia a partir da produção do espaço e do papel dos movimentos populares. Essa reconstituição foi, metodologicamente, realizada com base na revisão da literatura e na identificação do fenômeno por meio de diversas reportagens publicadas nos principais jornais de Goiânia, entre 1970 e 1990. Os resultados apontam o reconhecimento dos atores, bem como as espacialidades das ações e, sobretudo, os efeitos das lutas populares no desenho urbano do município. Há também reconhecimento dos vínculos entre lutas populares e Estado, por meio das narrativas descritas pela imprensa na cobertura da questão da moradia em Goiânia.

Luchas populares por la vivienda en Goiânia, Goiás, Brasil: narrativas y espacialización de la prensa de Goiás entre 1975 y 1990

Resumen: Brasil tiene una larga historia de políticas de planificación urbana. Una de las marcas más evidentes de estas políticas fue la construcción de tres ciudades dentro del territorio nacional. En Goiânia, construida como capital del estado de Goiás, la memoria de las luchas por la vivienda tiene mucho que aportar a la comprensión de la calidad, dirección y efectos socioespaciales de las políticas de planificación urbana. Goiânia siguió una trayectoria histórica de producción espacial, fomentando la dispersión geográfica, dificultando la movilidad urbana y con fuertes repercusiones en la periferia socioespacial de la vivienda. En este sentido, nuestro objetivo es recomponer la lucha por la vivienda desde la producción de espacio y el papel de los movimientos populares. Esta reconstitución se realizó metodológicamente a partir de la revisión de la literatura y la identificación del fenómeno a través de varios reportajes publicados en los principales diarios de Goiânia, entre 1970 y 1990., sobre todo, los efectos de las luchas populares en el diseño urbano del municipio. También se reconocen los vínculos entre las luchas populares y el Estado, a través de las narrativas descritas por la prensa sobre el tema de la vivienda en Goiânia.

Palabras clave: luchas populares; vivenda; Goiânia.

Popular struggles for home in Goiânia, Goiás, Brazil: narratives and spatialization from the Goiás press between 1975 and 1990

Abstract: Brazil has a long history of urban planning policies. One of the most evident marks of these policies was the construction of three cities within the national territory. In Goiânia, built as the capital of the State of Goiás, the memory of the struggles for housing has much to contribute to the understanding of the quality, direction and socio-spatial effects of urban planning policies. Goiânia followed a historical trajectory of space production, encouraging geographic dispersion, hindering urban mobility and with strong repercussions on the socio-spatial periphery of housing. In this sense, our objective is to recompose the struggle for home based on the production of space and the role of popular movements. This reconstitution was methodologically carried out based on the literature review and the identification of the phenomenon through several reports published in the main newspapers in Goiânia, between 1970 and 1990, above all, the effects of popular struggles on the urban design of the municipality. There is also recognition of the links between popular struggles and the State, through the narratives described by the press covering the issue of home in Goiânia.

Keywords: popular struggles; home; Goiânia.

Biografia do Autor

Lythielle Silva Almeida, Universidade Federal de Goiás - IESA

Graduanda em Geografia pela Universidade Federal de Goiás, estagiária do Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento IESA/UFG.

Leandro Oliveira de Lima, Universidade Federal de Goiás - IESA

Graduado em Geografia pela Universidade Estadual de Goiás (UEG).  Mestre e Doutor em Geografia pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Docente do Instituto de Estudos Socioambientais da UFG.

Referências

ALOJAMENTOS PROVISÓRIOS VÃO ABRIGAR 37 FAMÍLIAS. Diário da Manhã. Goiânia, 24 jul. 1981.
AMEAÇAS NO PARQUE SANTA CRUZ. Diário da Manhã. Goiânia, 17 set. 1980.
ASSOCIAÇÃO DENUNCIA JOGO POLÍTICO. Diário da Manhã. Goiânia, 02 ago. 1988.
BARROS, Luís Tôrres. Política habitacional em Goiás: do mutirão ao cheque moradia. Dissertação. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2011. 189 f.
CAPEL, H. Agentes y estratégias en la producción del espacio urbano español. Revista Geográfica, Barcelona, v. 8, n. 1-2, 1974.
CARLOS, A. F. A. A condição espacial. São Paulo: Contexto, 2011.
CASTELLS, M. A questão urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011
CERCA REVOLTA OS INVASORES. Diário da Manhã. Goiânia, 01 out. 1980.
COMUNIDADE ESTÁ CONTRA A REMOÇÃO. Diário da Manhã. Goiânia, 21 jul. 1987.
GOTTDIENER, M. A produção social do espaço urbano. São Paulo: Edusp, 1993
HARVEY, D. A produção capitalista do espaço. São Paulo: Annablume, 2005.
INVASORES A UM PASSO DA REMOÇÃO. Diário da Manhã. Goiânia, 10 jul. 1981.
INVASORES DIFICULTAM URBANIZAÇÃO DE ÁREAS. Diário da Manhã. Goiânia, 20 jan. 1981.
INVASORES EM VIGÍLIA NO PALÁCIO DE CAMPINAS. Diário da Manhã. Goiânia, 08 set. 1981.
INVASORES FALAM COMO PREFEITO. Diário da Manhã. Goiânia, 10 jul. 1981.
INVASORES NÃO SÃO RECEBIDOS. Diário da Manhã. Goiânia, 04 abr. 1982.
INVASORES RECUSAM PROPOSTA DE ÍNDIO. Diário da Manhã. Goiânia, 05 set. 1981.
INVASORES REJEITAM REMOÇÃO PROVISÓRIA. Diário da Manhã. Goiânia, 09 jul. 1981.
INVASORES SOLICITA, MEDIAÇÃO DO PREFEITO. Folha de Goiás. Goiânia, 04 jan. 1981.
KOWARICK, L. A espoliação urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979
LEFEBVRE, H. Espaço e política. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 2008.
LOJKINE, J. Estado capitalista e a questão urbana. São Paulo: Martins Fontes, 1997.
MIL BARRACOS DE INVASÃO NO NORTE – FERROVIÁRIO. O POPULAR. Goiânia, 12 out. 1975.
MOROSIDADE NA LEGALIZAÇÃO DOS LOTES. Diário da Manhã. Goiânia, 18 jul. 1987.
MOYSÉS, A. Goiânia: metrópole não planejada. Goiânia: Ed. da UCG, 2004.
NÚMERO DE BARRACÕES DA VILA JOÃO VAZ: Diário da Manhã. Goiânia, 05 nov. 1979.
POLÍCIA FAZ DESPEJOS NO PARQUE JOÃO BRAZ. Diário da Manhã. Goiânia, 06 mar. 1981.
POLÍCIA MILITAR E PREFEITURA IMPEDEM UMA NOVA INVASÃO. Diário da Manhã. Goiânia, 11 jun. 1983.
PREFEITO NÃO DEIXA INVASÃO AUMENTAR. O POPULAR. Goiânia, 03 jun. 1980.
PREFEITO PROMETE RECEBER OS INVASORES: Diário da Manhã. Goiânia, 06 set. 1981.
PREFEITURA LEGALIZA UMA INVASÃO. Diário da Manhã. Goiânia, 14 dez. 1980.
PREFEITURA NÃO PERMITE MAIS INVASÃO. O POPULAR. Goiânia, 27 jun. 1980.
SOUZA, Marcelo Lopes de. Mudar a cidade: Uma introdução Crítica ao Planejamento e à gestão urbanos. 6. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010. 558 p.
TERRENOS PARA OS INVASORES DO AREIÃO Diário da Manhã. Goiânia, 05 jun. 1981.
TODOS JUNTOS PARQUE ANHANGUERA II: BAIRRO TEVE INÍCIO COM INVASÃO DE FAMÍLIAS DE SEM - TETO NOS ANOS 80. Diário da Manhã. Goiânia, 22 fev. 2004.
UM ANO DEPOIS, PROBLEMAS CONTINUAM. Diário da Manhã. Goiânia, 26 fev. 1988.
Publicado
2021-11-30
Como Citar
Almeida, L. S., & de Lima, L. (2021). Lutas populares pela moradia em Goiânia-GO-Brasil: as narrativas e a espacialização a partir da imprensa goiana entre 1975 e 1990. Élisée - Revista De Geografia Da UEG, 10(2), e102217. https://doi.org/10.31668/élisée.v10i2.12461
Seção
Artigos