“A VERDADE É QUE NÃO COMEÇA COM UM TAPA”:

UMA ANÁLISE DO DISCURSO DE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

  • Ravine Guilherme Martins Universidade Federal de Goiás - (PPGEL - UFG/UFCat)
  • Bruno Franceschini Universidade Federal de Goiás - (PPGEL - UFG/UFCat)

Resumo

Ser mulher numa sociedade patriarcal e machista, que a considera um sujeito inferior, implica em resistir a modelos padronizados que as aprisionam. Este artigo tem por objetivo apresentar, em perspectiva discursiva de orientação foucaultiana, uma análise sobre o discurso de violência contra a mulher na série “La Casa de Papel”, produzida pelo site de streaming Netflix, a qual, dentre os assuntos apresentados na trama, possui essa temática. Primeiramente, a organização do texto visa à compreensão da Análise do Discurso e suas abordagens teóricas sobre discurso, enunciado, sujeito, memória discursiva e acontecimento por meio de Orlandi (2003) e Fernandes (2005). Em seguida, pautando-se em Foucault (1979), é realizada uma contextualização histórica do papel da mulher na sociedade envolvida no cenário de violência de gênero, a partir das serão analisadas as relações de poder e os meios de resistência por parte das vítimas retratadas ficcionalmente na série em estudo por meio da análise das séries enunciativas que discursivizam a violência em diferentes esferas. Mostra-se, também, como as séries enunciativas que retratam a violência contra a mulher são marcadas por estratégias discursivas, por meio do método arquegenealógico de análise do discurso proposto por Foucault (1979). Por fim, busca-se compreender como resultado desta pesquisa que os discursos que sustentam e reforçam a violência contra a mulher estão diretamente ligados a cultura machista e patriarcal e em como estas criam estratégias de empoderamento e resistência diante destes discursos.

Palavras-chave: Análise do Discurso. Enunciado. Sujeito. Violência de Gênero. Resistência

Biografia do Autor

Ravine Guilherme Martins, Universidade Federal de Goiás - (PPGEL - UFG/UFCat)

Graduanda em Letras - Português pela Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão, Go; Estudante da Língua Inglesa pelo Centro de Línguas da Universidade Federal de Goiás; Linha de Pesquisa sobre a violência contra a mulher no campo teórico da Análise do Discurso; Professora de Alfabetização da Educação Infantil; Professora de Inglês da Educação Infantil e Ensino Fundamental I; Professora de Leitura e Produção de Texto do Ensino Fundamental II. 

Bruno Franceschini, Universidade Federal de Goiás - (PPGEL - UFG/UFCat)

Adjunto da Universidade Federal de Goiás no curso de Letras e também professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem da UFG, ambos na Regional Catalão. É graduado em Letras - Português e Inglês - pela Universidade Estadual de Maringá (2009). Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da UEM (2012). Doutor em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Uberlândia (2017). Membro do GT de Estudos Discursivos Foucaultianos da ANPOLL. Pesquisador do Laboratório de Estudos Discursivos Foucaultianos (LEDIF-UFU/CNPq) da Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolve suas pesquisas e orientações em Análise do Discurso com os seguintes temas: dispositivo, processos de subjetivação e práticas de liberdade. 

Publicado
2021-07-07
Seção
Número Especial Linguagens e Educação