COTIDIANO NO SERTÃO DE “O TRONCO”

  • João Guilherme da Trindade Curado Instituto Cultural e Educacional Bernardo Élis para os Povos do Cerrado (ICEBE)

Resumo

A proposta de análise de uma das importantes obras de Bernardo Élis, “O Tronco”, busca a percepção dos costumes retratados no romance que se desenrola no então norte de Goiás nas décadas iniciais do século XX. Destacar a criação do dia a dia na Vila do Duro a partir de ações desenvolvidas por entre o espaço e o tempo, nem sempre linear cronologicamente, mas que seguem o processo criativo do autor, que conhecedor do interior de Goiás e de seus habitantes, consegue transpor o ocorrido em uma pequena vila, que na literatura contava com 40 casas. A nossa perspectiva de interpretação é centrada primordialmente em “O Tronco” (ÉLIS, 2003) e tangencia, mesmo que brevemente, Certeau (2013) ao tratar da temática do cotidiano. O objetivo pauta-se em buscar compreender o cotidiano na Vila do Duro materializado nas páginas de “O Tronco”.

Palavras-chave: Bernardo Élis. O Tronco. Cotidiano.

Biografia do Autor

João Guilherme da Trindade Curado, Instituto Cultural e Educacional Bernardo Élis para os Povos do Cerrado (ICEBE)

É historiador, mestre e doutor em Geografia (IESA/UFG). Pesquisador pirenopolino de manifestações da cultura ligadas ao catolicismo popular, patrimônio e História. Membro Correspondente do Instituto Cultural e Educacional Bernardo Élis para os Povos do Cerrado (ICEBE).

Publicado
2020-11-14