BERNARDO ÉLIS E A RECEITA GOIANA PARA MUDAR UMA CAPITAL

  • Jales Guedes Coelho Mendonça Instituto Cultural e Educacional Bernardo Élis para os Povos do Cerrado (ICEBE)

Resumo

Único goiano a integrar até hoje a Academia Brasileira de Letras (ABL), Bernardo Élis produziu um ensaio histórico relevante a respeito da transferência da sede do governo estadual, intitulado “Receita goiana para mudar uma capital”, publicado no bojo do livro “Goiás em sol maior” (1985). O escritor abordou dialeticamente em seu texto os dois lados do complexo processo mudancista, ou seja, tanto a cidade sonhada (Goiânia) quanto a abandonada (Cidade de Goiás), o que destoou da narrativa oficial e hegemônica, quase sempre focada apenas na perspectiva da construção da nova urbe. Bernardo Élis assinalou ainda, em várias passagens, o viés autoritário que permeou a maior parte do percurso, bem como o “grande número” de vilaboenses (moradores da antiga capital, outrora Vila Boa) que apoiavam a edificação de Goiânia, dois posicionamentos novamente dissonantes da versão tradicional.

Palavras-chave: História de Goiás. Transferência da capital. Bernardo Élis. Mudancismo condicionado.

Biografia do Autor

Jales Guedes Coelho Mendonça, Instituto Cultural e Educacional Bernardo Élis para os Povos do Cerrado (ICEBE)

É Promotor de Justiça. Doutor em História pela Universidade Federal de Goiás (UFG), membro do Instituto Histórico e Geográfico de Goiás (IHGG), do Instituto Cultural e Educacional Bernardo Élis para os Povos do Cerrado (ICEBE) e autor do livro “A Invenção de Goiânia: o outro lado da mudança” (2018, 2ª edição, Ed. UFG).

Publicado
2020-11-26