A (RE)PRODUÇÃO POPULAR DO MODERNO: APROPRIAÇÕES DA COLUNA DO PALÁCIO DA ALVORADA

  • Laila Beatriz Rocha Loddi
  • Talles Lopes de Oliveira
Palavras-chave: Coluna do Alvorada; Apropriação; Arquitetura popular; Moderno; Construção brasileira.

Resumo

Impulsionando todo um ciclo de mudanças, a construção de Brasília ativou um imaginário desenvolvimentista e consolidou o signo de modernidade no país. Sendo marco do desenvolvimento da arquitetura brasileira, a circunstância veio a definir novos rumos na obra de Oscar Niemeyer, com soluções de grande plasticidade como no Palácio da Alvorada. Talvez pela veiculação de Brasília e do Palácio na grande mídia e por sua excepcionalidade plástica, pode-se testemunhar na década de 1960 um processo de popularização do moderno onde diversas construções nos centros urbanos e no interior do Brasil utilizaram o formato da coluna do Palácio da Alvorada. Essa apropriação comumente é analisada sob a perspectiva da dicotomia entre cânones arquitetônicos e a produção não-oficial, porém, pouco aprofunda-se nas especificidades desta interpretação popular que envolve tanto casas suburbanas quanto edifícios institucionais em pequenas prefeituras do interior. Nesse sentido, este ensaio busca contribuir à historiografia se debruçando sobre a recorrência desse elemento específico em um conjunto de construções brasileiras apresentado na pesquisa “Construção Brasileira” que propõe mapear, catalogar, e construir uma iconografia da apropriação popular do moderno, debatendo seus pressupostos.

 

Publicado
2020-11-20