O BATISMO ESPIRITUAL DE BRASÍLIA E SUA PECULIARIDADE MÍSTICA NO PLANALTO CENTRAL

  • Pepita de Souza Afiune Doutoranda em História pela Universidade Federal de Goiás. Bolsista CAPES/FAPEG.
Palavras-chave: Brasília. Goiânia. Modernismo. Religiosidades. Misticismo.

Resumo

A presente proposta de artigo está vinculada às pesquisas que estão em fase de desenvolvimento para uma tese de doutoramento que visa o embrionamento dos discursos místicos a respeito de Brasília e seus utopismos. Aqui perfazemos um recorte temático com o objetivo de debater a respeito do episódio considerado importante na História de Brasília conhecido como o ‘Batismo Espiritual’ ocorrido no ano de 1957, antes de sua inauguração. Percebemos a importância da religião no âmbito deste projeto utópico e modernista, mostrando que modernidade e religião não são antônimas. Esse aspecto espiritualizado da construção de Brasília posteriormente se pluraliza, tomando uma proporção maior, alcançando outras religiosidades além da católica, como o espiritismo e mais tarde os novos movimentos religiosos ou místicos. Assim, Brasília nasce pautada em preceitos que se diferem de Goiânia, capital já consolidada naquele momento, por isso, acreditamos ser necessário realizar um debate entre os contextos históricos de ambas as capitais. Esse debate possui o objetivo de entender que apesar de ambas as capitais estarem pautadas nos preceitos modernistas, Brasília cresceu em um período de determinadas turbulências sociais, culturais e políticas que estavam ocorrendo na década de 50, desvinculando-se das tradições.

Biografia do Autor

Pepita de Souza Afiune, Doutoranda em História pela Universidade Federal de Goiás. Bolsista CAPES/FAPEG.

Doutoranda em História pela Universidade Federal de Goiás. Mestra em Ciências Sociais e Humanidades pela Universidade Estadual de Goiás. Pós-Graduada em Tecnologias em EAD pela Universidade Cidade de São Paulo. Graduada em História pela UEG. 

Publicado
2021-05-27