O INFERNO DE SARTRE: O DRAMA DA RELAÇÃO DO EU COM O OUTRO NA OBRA ENTRE QUATRO PAREDES

  • Tobias Dias Goulão
Palavras-chave: inferno, Sartre, outro, orgulho

Resumo

O presente texto explora uma interpretação da peça Entre Quatro Paredes (HuisClos, de 1944) do dramaturgo, romancista e filósofo existencialista francês Jean-Paul Sartre, que deixou sua obra marcada pela sentença “o inferno são os outros”. A perspectiva aqui é expor outra visão, a de que o inferno exposto por Sartre não é o outro, mas sim o indivíduo condenado, a pessoa que viveu envolvida em mentiras e que agora está exposta, sem possibilidade de continuar se escondendo. Nessa perspectiva, a idolatria de si e o ocultamento da própria realidade é o inferno, não a presença do outro e as possíveis limitações que ele representa.

Biografia do Autor

Tobias Dias Goulão
Mestrando do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Goiás na linha de pesquisa Fronteiras, Interculturalidades e Ensino de História, com pesquisas na área da relação entre Cinema e História, usos do passado pela mídia.
Publicado
2020-05-05