Os Avá-Canoeiro e o território goiano: luta em defesa da sobrevivência

  • Carla Edieni da Silva Alves Universidade Estadual de Goiás (UEG)
  • Maria de Fátima Oliveira Universidade Estadual de Goiás (UEG)
  • Poliene Soares dos Santos Bicalho Universidade Estadual de Goiás (UEG)

Resumo

Resumo: A proposta deste artigo é analisar a luta do povo Avá-Canoeiro em defesa do seu território e suas estratégias de sobrevivência desde o século XIX até a contemporaneidade. Trata-se de uma pesquisa histórica que buscou nos relatórios de Presidentes da Província de Goiás os vestígios dos embates e conflitos que contribuíram para o quase extermínio desse povo, objetivando compreender os impasses relacionados à sua identidade, apropriação do território e a resistência dessa etnia indígena no Cerrado goiano. A questão indígena, sempre presente nesses relatórios, é vista pelos administradores como um grave empecilho ao projeto de desenvolvimento econômico da região. No entanto, a luta dos Avá-Canoeiro adentra o século XX, e traz consigo novas formas de resistência e consequências para o seu modo de vida, com redução populacional, resultante da intensa luta pela sobrevivência. Atualmente, o discurso desenvolvimentista continua reproduzindo a ideologia do progresso, sem levar em consideração os direitos dos povos indígenas.

Palavras-chave: Avá-Canoeiro. Território. Conflitos Étnicos. Província de Goiás.

Biografia do Autor

Carla Edieni da Silva Alves, Universidade Estadual de Goiás (UEG)
Graduada em História pela Universidade Estadual de Goiás. Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Territórios e Expressões Culturais no Cerrado (TECCER), nível mestrado, da Universidade Estadual de Goiás (UEG).
Maria de Fátima Oliveira, Universidade Estadual de Goiás (UEG)
Doutorado em História pela Universidade Federal de Goiás (UFG), 2007; Professora Efetiva na Universidade Estadual de Goiás (UEG), Campus de Ciências Sócio Econômicas e Humanas (CCSEH). Docente do Mestrado Interdisciplinar Territórios e Expressões Culturais do Cerrado (TECCER).
Poliene Soares dos Santos Bicalho, Universidade Estadual de Goiás (UEG)
Doutora em História Social pela Universidade de Brasília (UnB). Pós-Doutorado em Antropologia (PPGAS/UnB).  Professora do curso de História da Universidade Estadual de Goiás e do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu Interdisciplinar em Territórios e Expressões Culturais do Cerrado (TECCER/UEG).
Publicado
2016-12-15
Como Citar
Alves, C., Oliveira, M., & Bicalho, P. (2016). Os Avá-Canoeiro e o território goiano: luta em defesa da sobrevivência. Revista De História Da UEG, 5(2), 69-85. Recuperado de https://www.revista.ueg.br/index.php/revistahistoria/article/view/4730
Seção
Artigos (Tema Livre)